Polícia reforça fiscalização sobre uso de extintores em viaturas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

As acções de fiscalização sobre o uso de extintores de incêndio nas viaturas, para que sejam evitados grandes danos, em casos de sinistro, estão a ser intensificadas pelos efectivos da delegação do Ministério do Interior (MININT), na província do Huambo.

De acordo com o director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Minint, Martinho Kavita Satito, em declarações à ANGOP, esta sexta-feira, é importante que os condutores se façam acompanhar deste importante instrumento para salvar vidas humanas e preservar os seus meios.

O também superintendente-chefe da Polícia Nacional lembrou que o uso dos extintores, por parte dos automobilistas, está previsto no Código de Estrada, daí a razão de cada um, quer os condutores de viaturas ligeiras ou de pesados, fazerem-se acompanhar obrigatoriamente do mesmo.

“Apesar de estar previsto no Código de Estrada, nos últimos tempos não havia uma fiscalização redobrada sobre a obtenção ou não deste acessório que, a partir de agora, passa a ter uma atenção especial, por parte dos agentes reguladores de trânsito”, salientou.

Martinho Kavita Satito informou ainda que, aos incumpridores, serão aplicadas as multas previstas pelo Código de Estrada, bem como poder vir a ter prejuízos, em casos de incêndios nas viaturas, principalmente aqueles que deviam ser evitados.

Por outro lado, incentivou os empresários e responsáveis de instituições públicas, no sentido de colocarem extintores de incêndios à disposição, nos respectivos estabelecimentos, a fim de evitar danos maiores em casos de sinistros.

De modo elucidativo, informou que durante o mês de Setembro foram registados 20 incêndios diversos, sendo quatro em viaturas, onde se destaca a explosão de um camião cisterna de transporte de combustível, igual número em residências, oito em vegetações e quatro em resíduos sólidos, que provocaram dois óbitos e avultados prejuízos materiais.

Acrescentou que os sinistros caracterizados por curto-circuito, presumível fogo posto, fuga de gás e negligência, ocorreram nos municípios do Bailundo, Caála, Cachiungo, Chicala-Cholohanga, Huambo e Ucuma.

Com uma área de 35 mil e 771 quilómetros quadrados, que perfazem 11 municípios, vivem no Huambo, Planalto Central de Angola, dois milhões e 511 e 309 habitantes que, na sua maioria, dedicam-se à agricultura.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.