Mais de 700 estrangeiros retirados das zonas diamantíferas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Setecentos e dezasseis emigrantes da República Democrática do Congo (RDC) foram retirados das áreas de exploração de diamantes no município de Lucapa, Lunda Norte, e repatriados no país de origem por permaneça ilegal no território angolano, no âmbito da “Operação Transparência”.

A recolha destes emigrantes ocorreu em Setembro do ano em curso, numa operação especial, envolvendo efectivos do Serviço de Investigação Criminal (SIC), Serviço de Emigração Estrangeiros (SME), Forças Armadas Angolanas (FAA) e Policia Nacional, fruto de denúncias públicas que davam conta que grande parte deles praticavam a exploração ilegal (garimpo) de diamantes.

De acordo com o coordenador adjunto do Posto Comando Avançado da Operação Transparência, comissário Mário Queiroz, dos 716 emigrantes, 564 são homens, 108 mulheres e 44 crianças.

Na ocasião, o oficial apelou aos efectivos de segurança privada destacados em vários projectos diamantíferos a colaborarem com as forças de defesa e segurança do Estado, no controlo cerrado das zonas de exploração, visando o combate do garimpo de diamantes.

Alertou que as autoridades vão responsabilizar civil e criminalmente efectivos da segurança privada que facilitarem tal fenómeno.

A “Operação Transparência”, lançada em 2018, visa combater o tráfico ilícito de diamantes e a imigração ilegal. Em 2019, foram detidos e repatriados 147 mil e 379 cidadãos estrangeiros em situação migratória irregular.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.