EUA retomam sanções contra Irão que também visam Governo venezuelano

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Os Estados Unidos anunciaram hoje uma série de medidas punitivas contra o Ministério da Defesa do Irão e contra o Presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, alegando sanções da ONU contra o regime iraniano.

O Presidente dos EUA, Donald Trump, assinou um decreto que autoriza “severas sanções económicas contra qualquer país, empresa ou pessoa que contribua com o fornecimento, venda ou transferência de armas convencionais à República Islâmica do Irão”, disse hoje o assessor de segurança nacional, Robert O’Brien.

Esta medida tem por alvo o regime do Presidente Maduro, acusado de há dois anos estar a colaborar com o regime de Teerão, de forma ilegal.

“Há quase dois anos, funcionários corruptos de Teerão têm trabalhado com o regime ilegítimo da Venezuela, para contornar o embargo de armas da ONU”, justificou o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo.

“As nossas medidas hoje anunciadas são um alerta que deve ser ouvido em todo o mundo”, acrescentou, durante uma conferência de imprensa em Washington, o chefe da diplomacia dos EUA, exortando os países europeus a aplicarem proclamadas por Washington.

Também presente na sessão, o secretário de Tesouro, Steven Mnuchin, também anunciou medidas contra a Organização Iraniana de Energia Atómica.

No fim de semana, Mike Pompeo já tinha avisado que “todas as sanções da ONU contra o Irão “estavam de volta”, apesar de o resto das grandes potências, incluindo alguns aliados dos EUA, contestarem esta leitura, dizendo que Washington não pode recuperar as sanções das Nações Unidas que expiraram no domingo.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.