Cientista Valdemar Tchipenhe ganha bolsa de mestrado

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Governo atribuiu, nesta quarta-feira, por via do Ministério dos Recursos Minerais Petróleo e Gás, uma bolsa de mestrado ao cientista angolano Valdemar Tchipenhe.

A referida bolsa de mestrado será na área de Engenharia Genética, no Japão, para dar sequência a formação académica e incentivar a sua caminhada profissional.

Valdemar Tchipenhe, de 23 anos,  é licenciado em biotecnologia, pela Universidade Normal de Zhejiang (China), no quadro de uma bolsa do Instituto Nacional de Gestão de Bolsas  de Estudo (INAGBE), co-financiada  pelo Conselho de Bolsas de Estudos da China (CSC), em 2014.

Logo após a conclusão dos estudos, o jovem  foi contratado pela  empresa chinesa  BGI Genomics que , depois de treinamento especializado adicional, pôs-lhe a trabalhar na sede , em Shenzen.

Com o surgimento do novo coronavírus, o jovem angolano foi  chamado, em Janeiro deste ano, a juntar-se a equipa de especialistas chineses.

O jovem está de regresso ao país a frente de uma equipa de cientistas da empresa chinesa BGI Genomics para a montagem de laboratórios em algumas províncias do país, no âmbito do combate á Covid-19, depois de ter passado pelo Gabão e Togo. 

O ministro  dos Recursos Minerais Petróleo e Gás, Diamantino de Azevedo, durante uma audiência concedida pela ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula do Sacramento Neto, considera uma honra ter em Angola um cientista com menos de 25 anos.

Diamantino de Azevedo avançou que o desenvolvimento integral da juventude e a inserção na vida activa fazem, igualmente, parte dos programas do ministério, afirmando que os feitos  protagonizados do cientista mostram que mesmo diante das dificuldades os angolanos conseguem se evidenciar além fronteiras.

Já a ministra Ana Paula do Sacramento Neto, adiantou que outros angolanos podem e vão ser reconhecidos pelo contributo prestado a nação.

“ A formação dos jovens é parte do plano nacional de desenvolvimento. O cientista angolano conseguiu tornar-se num cidadão do mundo, mas como é persistente e determinado conseguiu mais um feito, fazer parte e liderar uma equipa para montar os laboratórios que estão a contribuir na identificação dos casos de Covid-19 em Angola”, frisou.

A ministra referiu que a valorização de uma sociedade faz-se com boas práticas e com aproveitamento das oportunidades colocadas à disposição dos jovens.

Valdemar Tchipenhe, que esteve acompanhado da irmã mais velha,  agradeceu o Presidente da República pelas oportunidades dadas aos jovens angolanos e incentivos aos estudos, e a ministra da saúde por permitir-lhe liderar o grupo que está a montar os laboratórios da Covid-19 no país.

“ Pretendo ter uma formação superior e me tornar num PHD. Vou fazer o meu mestrado em engenharia genética, na edição de genes e formação de organismos  modificados geneticamente”, asseverou.

Valdemar Tchipenhe fala fluentemente português, inglês, mandarim e razoavelmente espanhol e japonês.

Profissional pró-activo e virada para a ciência, com um ano e meio de experiência numa das empresas líderes mundiais em biotecnologia, BGI.

É ainda consultor para Adventation Business Partners France sobre diagnóstico de doenças infecciosas usando o sequenciamento de última geração.

Técnico de Laboratório-PCR,RT-PCR, extração  de DNA, tecnologia  de DNB, BGISEQ500,MGISP-960,MGI-SEQ 2000, solucionador  de problemas complexos.

Frequentou durante três semanas de transferência  de tecnologia como um cientista aplicado em campo na Bangkok Genomics Medical Technology Clinic, que envolveu a instalação de um laboratório para realizar o fluxo de trabalho experimental dos produtosNIFTY básico e NIFTY pró.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.