Filho de Afonso Dhlakama anuncia candidatura às presidenciais moçambicanas de 2024

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Henriques Afonso Dhlakama, filho mais velho do antigo líder da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo, oposição), anunciou hoje a sua candidatura à Presidência da República nas eleições gerais de 2024, dizendo que pretende evitar que o país entre “num precipício”.

Henriques Dhlakama anunciou a sua participação na corrida eleitoral, que se vai realizar dentro de quatro anos, numa declaração na sua página da rede social Facebook.

A Lusa tentou contactar o candidato, mas sem sucesso.

A candidatura foi confirmada à Lusa por uma fonte partidária, apesar de o novo candidato não fazer referências a partidos no seu anúncio.

“Estamos à beira de um precipício e é altura de os moçambicanos reagirem com a ferocidade que se lhes conhece ao longo da sua história”, refere, na declaração.

Henriques Dhlakama considera que Moçambique está mais de 50 anos atrasado em relação a outros países e funciona com instituições corruptas.

Os moçambicanos devem rejeitar a estagnação, o imobilismo e o conformismo e provarem que são capazes de superar as dificuldades, diz.

“Cabe agora às atuais gerações, no seu amor pelo país, com fé e ombro a ombro, com os seus irmãos e irmãs, travar o maior combate na história deste país: o combate pela justiça e igualdade e por um futuro que pode ser esplendoroso”, avança, na declaração.

O primogénito de Afonso Dhlakama assinala que na sua história Moçambique já conheceu tempos de extrema violência, dificuldades e miséria, mas soube resistir.

“Não há maior heroísmo que esse, de ver a fera da guerra e da barbaridade e dos desastres naturais a abater-se sobre nós e, resistindo, voltar à luta e gritar: nunca seremos vencidos. Nunca iremos desistir!”, refere.

Henriques Afonso Dhlakama assume-se como candidato de todos os moçambicanos e considera que o país está farto do atual rumo.

“Tenho a absoluta certeza de que os moçambicanos querem mudar e estão fartos. Fartos de sofrer e ver morrer as suas crianças, de não ter o que comer, de não conseguir ter acesso a uma assistência digna na saúde, de não conseguir ter dinheiro para estudar e não ter emprego e de guerras e conflitos”, diz.

Está na altura, prossegue, de os líderes pensarem no povo e de abdicarem, caso não tenham capacidade de dialogar e agir.

O anúncio da candidatura presidencial de Henriques Dhlakama acontece depois de recentemente o filho do antigo líder do principal partido da oposição ter divulgado a intenção de participar na vida política ativa, “face aos pedidos insistentes por parte de atores políticos e sociais, nacionais e internacionais, bem como diversas fações da Renamo”.

Na mensagem, Dhlakama avança que “a decisão pessoal de participação na vida política ativa surge na sequência das divisões políticas no seio da Renamo”.

O filho mais velho de Afonso Dhlakama refere que é também movido pela “extrema apreensão” em relação à situação política e de segurança no país.

Afonso Dhlakama dirigiu a Renamo durante 39 anos e morreu em 2018.

A Renamo, atualmente dirigida por Ossufo Momade, ainda não se pronunciou sobre o anúncio de Henriques Afonso Dhlakama.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.