Incêndio adia eleição da 2ª secretária do MPLA

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Um incêndio de grandes proporções deflagrado hoje no complexo turístico Cambumbe Lodge, arredores da cidade de Menongue, adiou a eleição da 2ª secretária do MPLA na província do Cuando Cubango, onde decorria a VIII reunião ordinária do partido na região.

 Apesar de todo cenário montado para, entre outros assuntos eleger-se a 2ª secretária, os 141 membros presentes foram surpreendidos pela chama e muito fumo, o que motivou um alvoroço e dispersão imediata dos participantes.

Em breves declarações à imprensa, o porta-voz dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, Júlio Muliata, disse que as causas do incêndio não foram identificadas, embora existam fortes indícios de fogo posto, que partiu do exterior do complexo e rapidamente estendeu-se para o interior devido às fortes rajadas de vento.

Quanto à intervenção dos bombeiros, afirmou terem sido envolvidos 64 elementos e duas viaturas equipadas para a extinção do incêndios, que foram insuficientes uma vez que uma parte considerável do complexo foi construída com madeira e coberto de capim, que facilitou a proliferação do fogo e condicionou a actuação da equipa de extinção.

Relativamente aos prejuízos, destaca-se, entre os vários bens atingidos que estão a ser contabilizados, 164 suites com todo o seu equipamento, nomeadamente camas, aparelhos de ar condicionado, televisores, loiça sanitária, entre outros. 

“Notamos uma certa negligência por parte da instituição. Não temos tido bocas-de-incêndio que é uma coisa muito importante para ajudar os bombeiros na sua actuação”, lamentou.

Por formas a evitar situações idênticas, o porta-voz chama atenção para a importância da colocação de “barreiras de corte de fogo”, devido ao capim seco fora e dentro do complexo.

Inconformado com a situação, o proprietário daquela instituição hoteleira prometeu pronunciar-se nos próximos tempos.

O primeiro secretário provincial do MPLA no Cuando Cubango, Júlio Bessa, lamentou o sucedido, tendo considerado ter sido um acontecimento fortuito grave, sendo uma situação recorrente relacionada ao controlo das queimadas.

“ Foi um mau acontecimento. Lamentamos imenso e manifesto a minha solidariedade para com o proprietário”, sublinhou, aventando a possibilidade de reavaliar os níveis e meios técnicos de actuação dos bombeiros.

Para o dirigente político, a moldura penal relacionada aos crimes ambientais, sobretudo as queimadas anárquicas deve ser revista e agravada para se evitar tais práticas.

 O complexo em causa tem sido fértil no acolhimento de actividades políticas e governativas, tendo acolhido na última quinta-feira, o III Conselho Alargado do Governo Provincial.

Sobre a reunião, disse que tudo deverá ser feito para que seja realizada na próxima segunda-feira.

“Vamos retomar as actividades segunda-feira. Somos um partido resiliente, com objectivos claros, temos uma agenda e segunda-feira de manhã retomaremos a mesma”, realçou.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.