Número de mortos no Médio Oriente ultrapassa as 50.000

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O número de mortos por covid-19 ultrapassou hoje os 50.000 no Médio Oriente, segundo a contagem da Associated Press com base em números oficiais fornecidos pelas autoridades de saúde.

Esses números podem também estar subestimados, já que os testes em nações devastadas pela guerra, como a Líbia e o Iémen, permanecem extremamente limitados.

O principal funcionário das Nações Unidas para a Líbia alertou, na quarta-feira, que a pandemia no país arrasado pela guerra parece estar a “sair do controlo”.

Os rebeldes Huthis do Iémen, que controlam a capital, Sanaa, e grande parte do norte, recusam-se a divulgar as estatísticas do vírus.

A nação mais atingida pelo vírus continua a ser o Irão, o primeiro a ser atingido por um surto na região. Mais de 21.900 pessoas morreram, com mais de 380.000 contágios e 328.000 recuperações.

Ainda hoje, Israel anunciou planos de impor bloqueios rígidos às cidades com grandes surtos, depois de reportar um relatório de 3.000 novos casos num único dia.

O país conteve o seu surto em grande parte na primavera passada, após impor medidas rígidas de bloqueio, mas as infeções dispararam após a economia ter sido abruptamente reaberta em maio.

O governo, que tem enfrentado críticas generalizadas pela forma como lidou com a pandemia, disse que novos bloqueios seriam impostos nas chamadas cidades “vermelhas”.

Israel relatou mais de 120.000 infeções e 985 mortes.

Os Emirados Árabes Unidos, que embarcaram numa campanha de testes em massa, tiveram o maior número diário de novos casos em mais de três meses, o que ocorreu quando as escolas reabriram e quando Dubai se voltou a promover como destino turístico. A federação reportou mais de 72.000 casos, incluindo 387 óbitos.

Para além do Médio Oriente, os números do Paquistão continuam a diminuir, o que confundiu as expectativas de meados de junho, quando até mesmo as autoridades previam um aumento massivo de casos. O país registou até agora mais de 297.000 infeções de 6.328 mortes.

No Afeganistão, o governo abriu instalações recreativas e a maioria dos negócios. Mas os especialistas temem que os números reais sejam muito maiores do que o número oficialmente relatado mais de 38.000 infeções e 1.409 mortes.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 863.679 mortos e infetou mais de 26 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.