Governo investe na recuperação de estradas em Benguela

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O ministério das Obras Públicas e Ordenamento do Território, através do INEA, está a investir cerca de 10 mil milhões de kwanzas na construção de três pontes e recuperação de igual número de lotes de vias rodoviárias na província de Benguela, no quadro do seu “Programa de salvação de estradas”, apurou a Angop.

Segundo o director-geral adjunto do Instituto Nacional de Estradas de Angola, Henrique Vitorino, que visitou nesta quinta-feira as obras de construção das pontes de betão sobre os rios Cutembo, na EN 105 (troço Caimbambo/Quilengues/Lubango), com 72 metros de comprimento, 12 de metros de largura e mais de 100 toneladas de capacidade de carga.

Uma segunda, igualmente de betão, está em construção sobre o rio Calualua, na EN 260, com 59 metros de comprimento, 12 de largura, incluindo 2,5 metros de passeios por cada berma e a última, em manutenção, sobre o rio Cuporolo, devendo as duas primeiras serem concluídas entre Março e Abril de 2021, ou seja, dentro dos nove meses do prazo contratual.

A obra de recuperação da ponte sobre o rio Cuporolo, que ainda suporta o trânsito numa única faixa, no mesmo troço Quilengues/Lubango (EN 260), conta com intervenções nos chamados “guarda corpos”, passeios e nas drenagens das águas das chuvas, podendo ser concluída mais cedo.

Por outro lado, estão a ser recuperados de três lotes de estradas, nomeadamente os números cinco, seis e sete, nas estradas nacionais 105 e 260. Os referidos lotes estão repartidos em 109,7 quilómetros (Akz mil milhões e seiscentos e cinquenta e quatro milhões), 43,50 quilómetros (quinhentos e noventa e dois milhões, novecentos e catorze mil e oitocentos e três kwanzas) e o terceiro, 41 quilómetros (mil milhões trezentos e quarenta e sete milhões de kwanzas).

Além destas obras de manutenção, constam igualmente a reabilitação de 13,1 quilómetros, estando todas empreitadas abaixo de 30 por cento de execução física.
 

A Angop soube no local que a pandemia da Covid-19, que assola o país e o mundo, influenciou negativamente no cumprimento dos prazos nesses lotes, cujas obras foram lançadas em Fevereiro passado, com prazo de conclusão de seis meses. Porém, foram reformulados os prazos de execução, devendo serem concluídos todos até o I trimestre de 2021.

A comitiva do INEA, que antes de constatar as obras das estradas em curso, fez a entrega ao governo local de dois kits de reparação de estradas, foi coordenada pelo director geral do INEA, Molares de Abril, tendo seguido já para a província da Huíla, por estrada.

Entretanto, Domingos Cipriano, director provincial do INEA em Benguela, tranquilizou os munícipes, aludindo que, dentro de alguns meses, os actuais constrangimentos vão resultar em ganhos maiores na circulação de pessoas e mercadorias.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.