YouTube e Google desativam contas de meios de comunicação estatais cubanos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A plataforma de vídeo online YouTube e a Google desativaram na quinta-feira as contas do canal de televisão estatal cubano Cubavisión Internacional e do programa de televisão Mesa Redonda, por violarem as suas regras de serviço.

Segundo a agência de notícias espanhola Efe, os gigantes norte-americanos da internet informaram que o cancelamento se deve a uma alegada “violação das leis de exportação” dos Estados Unidos (EUA), por causa do embargo comercial e financeiro de Washington a Cuba.

Em comunicado publicado no portal Cubadebate, citado pela Efe, os responsáveis do programa de televisão Mesa Redonda protestaram contra “a arbitrariedade” da decisão, “sem direito a reclamar”, considerando-a como “censura aos meios de comunicação cubanos”.

Por seu lado, a Cubavisión Internacional considerou que “na origem destes acontecimentos está o alcance do ‘bloqueio’ económico, financeiro e comercial imposto pelo governo dos Estados Unidos (…) há mais de meio século”.

As regras de serviço da Google estipulam que, “de acordo com as leis de exportação dos EUA, é possível que as transferências de aplicações Google Play para países embargados sejam proibidas”.

O programa Mesa Redonda, criado pelo falecido ex-presidente Fidel Castro há mais de duas décadas, abriu um canal no YouTube em 2009 e tinha mais de 19.000 assinantes.

A televisão estatal cubana, com transmissões internacionais por satélite e ‘streaming’, tinha cerca de 8.000 seguidores.

Esta não é a primeira vez que empresas norte-americanas fecham páginas dos meios de comunicação cubanos e funcionários públicos nas redes sociais.

Em 2019, o Twitter suspendeu as contas dos principais meios de comunicação social de Cuba, durante um discurso televisivo do Presidente do país, Miguel Díaz-Canel, que dava conta de uma crise de abastecimento de combustível.

As contas das redes sociais do diário Granma, órgão do Partido Comunista cubano, Cubadebate, Rádio Rebelde e Canal Caribe, foram canceladas no passado, tal como as dos perfis do ex-Presidente cubano Raúl Castro e da filha, Mariela Castro, congressista e líder do movimento pró-LGBT.

Em 2011, o YouTube fechou o canal Cubadebate.

Os Estados Unidos e Cuba vivem atualmente um dos piores momentos nas suas relações bilaterais, oficialmente restabelecidas em 2015 como parte do “degelo” promovido pelos ex-presidentes Barack Obama e Raúl Castro.

A chegada de Donald Trump à Casa Branca, em 2017, fez retroceder a política dos EUA em relação a Havana, reforçando as restrições ao embargo imposto desde 1962 ao país comunista.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.