TAAG vai hoje novamente buscar angolanos presos em Portugal

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Depois do único voo de repatriamento de angolanos retidos no Porto (Portugal), realizado a 30 de Julho, a TAAG – Linhas Aéreas de Angola – retoma, nesta sexta-feira, as operações humanitárias de “resgate” entre Lisboa e Luanda, transportando 260 passageiros.

Neste segundo voo de repatriamento, a partir da capital portuguesa, à semelhança do anterior, estão a ser priorizados os doentes que cumpriram juntas médica, alguns que estavam em formação académica, os passageiros em grupo familiar (sobretudo com crianças) e os idosos.

Conforme os termos do Decreto Presidencial sobre o Estado de Calamidade Pública, e tal como os beneficiários anteriores destas operaçãos humanitárias, estes serão encaminhados para os vários centros de referência, onde vão cumprir a quarentena institucional obrigatória.

Assim, os viajantes a bordo do Boeing 777-300, da TAAG, antes do embarque, deverão apresentar o teste “negativo” da Covid-19, realizado 72 horas antes, assim como preencherão a declaração de aceitação do período de quarentena institucional em hotéis designados pelo Estado Angolano.

Desde que foi decretado o Estado de Emergência, a 25 de Março último, a TAAG transportou quatro  mil cidadãos angolanos que estavam retidos no estrangeiro. A TAAG já transportou, só em Julho, 760 cidadãos, sendo 543 de Portugal.

No quadro do programa de voos humanitários da Comissão Multisectorial para a Prevenção e o Combate à Covid-19, a companhia prevê repatriar de Portugal mil e 100 cidadãos nacionais, dos quais mil e oitocentos em Lisboa e 300 na cidade do Porto.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.