Angola fecha o mês de julho com recorde de 43 óbitos e 954 casos

Angola fecha o mês de julho com recorde de 43 óbitos e 954 casos

O mês de julho foi o mais letal desde que foi detetado o novo coronavírus em Angola com um registo recorde de 43 mortes das 52 associadas a covid-19 e mais de 900 casos positivos confirmados de contaminação com o novo coronavírus.

Em junho, primeiro mês crítico devido a época fria, o país registou 9 óbitos associados à Covid-19, num total de 190 casos positivos confirmados. Já nesse mês de Julho, Angola registou números “alarmantes”, que atingiram 954 infecções ( o país tem 1.144 no geral), com uma média diária de 31 casos, diferente da média de 6 registada em Junho.

Ainda assim, o país posicionou-se muito aquém das projecções feitas por organismos internacionais ligados a saúde, que previam pelo menos 10 mil casos em Angola por essa altura.

Foi igualmente em Julho que mais províncias entraram na rota da pandemia, como o Bengo, Cuanza Sul, Lunda Norte, Uíge, Cabinda, Cunene, Zaire e Moxico.

No quadro do reforço da capacidade de testagem, a Comissão Multissectorial de Combate à Covid-19 implementou, em Julho, a campanha de teste rápido, analisando acima de 30 mil pessoas, resultando em mais de dois mil casos reactivos que aguardam a contra-análises da biologia molecular.

O grupo alvo foram os mercados, centros de sentinelas (hospitais), alguns bairros, profissionais do grupo de risco, entre outros, cuja campanha ainda prossegue.

Vários recordes foram também estabelecidos, nomeadamente o número de mortes em um dia (seis), recuperações (94) e casos de infecção (50), além de casos críticos (17).

A disseminação comunitária levou as autoridades governamentais a recuarem em algumas medidas para contenção de casos, como a mudança dos horários de encerramento dos restaurantes (20h), dos transportes públicos (antes 18, agora 20h).

Ainda nessa senda ficou decretado o uso obrigatório da máscara facial na via pública,  redução dos dias de venda nos mercados informais (terça, quinta-feira e sábado), diminuição de números de pessoas (clientes e funcionários) nos supermercados, entre outros.

 Do lado contrário orientou-se abertura de museus e outras actividades culturais.

No capítulo de voos humanitários, o governo esmerou-se na busca de seus cidadãos. Só em Julho foram mais de mil, sendo que no geral, desde o início do processo, perto de cinco mil angolanos voltaram ao país.

Angola conta com 1.148 casos positivos, dos quais 52 óbitos, 437 recuperados e 659 activos.

Fonte: Angop

Close Menu