Diplomata defende investimento nas energias renováveis

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A embaixadora angolana em Itália, Maria de Fátima Jardim, defendeu acções conjuntas para a captação de investimentos no sector das energias renováveis, no âmbito do reforço da cooperação económica entre os dois países.

A diplomata fez esta afirmação durante uma videoconferência organizada pela Câmara de Comércio Angola-Itália, que trabalha para o fomento do intercâmbio económico e comercial entre empresas angolanas e Italianas.

Sob o lema “Energias Renováveis e Oportunidades de Investimento do Sector Privado em Angola”, durante o encontro os diversos oradores manifestaram a sua disponibilidade e interesse em investirem no país desde que sejam criadas condições para tal nesse domínio.

Para Fátima Jardim, este evento acontece num momento em que a cooperação entre os dois países ganha novos espaços, em particular na região de Caraculo (Namibe), onde está em fase de implementação o projecto de uma central fotovoltaica de 50MWp, ligada à rede de transmissão do Sul de Angola, no âmbito de um acordo de concessão assinado entre a Sonangol e a ENI.

Segundo Fátima Jardim, esta iniciativa enquadra-se na estratégia de Angola do sector da electricidade, destinada a promover energias renováveis, reduzir o consumo de gasóleo e custos operacionais, bem como as emissões de gases de efeito estufa em cerca de 20.000 tCO2eq/ano.

Conforme a diplomata angolana, as oportunidades do sector privado no pós Covid-19 podem acelerar os aspectos do desenvolvimento sustentável, com o relançamento da economia e proporcionar novas soluções, pois Angola tem opções estratégicas bem definidas, de acordo com a sua Agenda Nacional de Desenvolvimento.

Nessa perspectiva, afirmou que o Governo tem trabalhado no sentido de promover o desenvolvimento sustentável, através do uso de energias limpas e renováveis, reiterando a “confiança inequívoca” de continuarem a trabalhar em parceria com a Câmara de Comércio Angola-Itália e as entidades italianas, no quadro do processo de diversificação do sector energético.

A embaixadora espera que, através de câmaras de comércio, da classe empresarial e parcerias público-privadas, se possa caminhar para a estabilidade económica e social, criando desta forma as bases para a uma parceria estratégica entre Angola e a Itália nos mais variados domínios.

Aproveitou a ocasião para reiterar o convite à classe empresarial italiana a visitar Angola para conhecer de perto as suas potencialidades e promover a troca de informações sobre áreas consideradas fundamentais para o fomento de parcerias com a Itália

O presidente e o vice-presidente da Câmara de Comércio Angola-Itália, Mário Cabrini e Hélder Cardoso, respectivamente, enalteceram as contribuições de todos os convidados, referindo que Angola está entre os países privilegiados em matéria de projectos de investimento de grande impacto.

O encontro contou com a participação do presidente do conselho de administração da AIPEX, António Henriques da Silva, Marino Bulles e Serafim Silveira, representantes do Ministro da Energia e Águas, Giza Martins Gaspar, em representação da ministra da Cultura, Turismo e Ambiente, e Túlio Cravo, do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).

Destaque também para a presença do novo embaixador designado da Itália em Angola, Cristiano Gallo, entre outros representantes do sector privado italiano.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.