Diplomata diz não existir angolanos infetados no Congo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O embaixador de Angola, acreditado na República do Congo (RC), Vicente Muanda, afirmou, hoje, sábado, na fronteira terrestre de Massabi com a cidade de Ponta-Negra (RC) de não existir naquele país angolanos infetados com o vírus da covid-19.

Os mais de 15 mil angolanos que residem naquela país vizinho, há longos anos, e distribuídos em quatro comunidades localizados nas cidades de Brazaville, Nkay/Boenza, Ponta-Negra/Kouilou e Dolizi/Niari, ninguém foi acometido com a Covid-19.

O diplomata, que veio a fronteira angolana de Massabi para acompanhar os 72 cidadãos angolanos que se encontravam retidos na cidade de Ponta-Negra por conta da Covid-19, disse que ao nível da embaixada e dos consulados gerais tem havido programas para junto das comunidades levar a mensagem do cumprimento das medidas de biossegurança como uso obrigatório das máscaras, lavagem das mãos com água e sabão ou álcool gel e os distanciamentos social.

Sobre o regresso dos angolanos retidos em Ponta-Negra, desde o meses de Fevereiro e Março desde ano, Vicente Muanda disse ser um alívio, tendo em conta os momentos difíceis enfrentados por eles naquela país e dos riscos de contaminação com novo coronavírus.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.