França abre investigação contra ex-militar ruandês por ‘crimes contra humanidade’

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Uma investigação preliminar sobre “crimes contra a humanidade” foi aberta na sexta-feira (24) contra Aloys Ntiwiragabo, chefe da Inteligência militar durante o genocídio de 1994, em Ruanda, e que estaria vivendo na França – informou a Procuradoria Nacional Antiterrorismo neste sábado (25).

A investigação começou em consequência de uma matéria da Mediapart, que afirma tê-lo encontrado perto de Orleans, 130 quilômetros ao sul de Paris.

No passado, os procuradores do Tribunal Penal Internacional para Ruanda (ICTR) o acusavam de ser um dos arquitetos do genocídio de 1994 em Ruanda. Segundo a ONU, pelo menos 800.000 pessoas foram mortas, principalmente da minoria tutsi.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.