OMS “preocupada” por avanço do coronavírus em alguns países europeus

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A representação europeia da Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou nesta sexta-feira estar “preocupada” com o ressurgimento da COVID-19 em alguns países da Europa, e pediu que suspendam as restrições “com cuidado” ou até que as restabelecessem se é necessário.

Questionada pela AFP sobre a situação no continente, a OMS Europa não mencionou explicitamente os países que levantam preocupações, mas se referiu à sua tabela de vigilância on-line.

Com 335 novos casos por 100.000 habitantes, o Quirguistão é, em relação à sua população, o primeiro país afetado na vasta área da OMS Europa, com uma tendência fortemente crescente, de acordo com a classificação de novos casos nos últimos 14 dias do países da região.

Entre os países que acumulam um número significativo de novos casos, incluindo um aumento, estão Israel (256 novos casos/100.000 habitantes), Montenegro (207) Luxemburgo (196), Bósnia (98), Sérvia (71), Romênia (52) e Bulgária (46).

Por outro lado, a tendência é de queda na Armênia (197 casos por 100.000 habitantes), Cazaquistão (128), Moldávia (82), Rússia (60) ou Suécia (46).

A Europa excedeu os 3 milhões de casos na última quinta-feira, segundo a contagem da AFP, com um saldo de mais de 206.000 mortes no continente.

Na Bélgica, uma menina de três anos morreu devido ao coronavírus, anunciaram as autoridades nesta sexta-feira.

Segundo dados da OMS Europa, em geral, o número de novos casos permanece estável na sua região, cerca de 20.000 por dia.

Um nível que é observado desde aproximadamente 20 de maio e é duas vezes menor do que os picos registrados no início de abril.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.