África com recorde de 834 mortos em 24 horas para total de 16.434

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

África registou um recorde de 834 mortos em 24 horas devido à covid-19, com o total a subir para 16.434, tendo mais de 770 mil infetados, segundo os dados mais recentes sobre a pandemia no continente.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número de casos positivos subiu para 770.300, mais 23.808 nas últimas 24 horas, também um dos valores diários mais elevados, havendo 436.698 pessoas recuperadas, mais 39.917, igualmente um recorde.

A África Austral regista o maior número de casos (410.457) e de mortos (6.253), mais 13.848 casos e 581 mortos nas últimas 24 horas, a grande maioria concentrada na África do Sul, o país com mais infetados e mais mortos em todo o continente, com 394.948 casos (mais 13.150) e 5.940 vítimas mortais (mais 572).

O Norte de África conta 6.085 mortos, tendo 141.569 infeções.

A África Ocidental contabiliza 1.760 mortos e 112.902 casos, a África Oriental regista 1.466 vítimas mortais, tendo passado hoje os 60 mil casos (61.347), enquanto na África Central há 870 mortos e 44.025 infeções.

Depois da África do Sul, o Egito é o segundo país com mais vítimas mortais (4.440) e 89.745 casos, seguindo-se a Argélia, com 1.102 mortos e 24.265 infetados.

Entre os cinco países mais afetados, está também a Nigéria, com 813 mortos e 38.344 casos positivos, e o Sudão, com 706 mortes e 11.127 infetados.

Em relação aos países africanos lusófonos e segundo dados das autoridades locais, Cabo Verde é o que tem mais infeções (2.190, dos quais 21 mortes), enquanto Angola lidera em termos de vítimas mortais – 33 mortos entre os 812 casos diagnosticados.

A Guiné-Bissau regista 1.949 casos positivos, que resultaram em 26 mortes, enquanto Moçambique contabiliza 1.582 casos e 11 vítimas mortais.

São Tomé e Príncipe tem 746 casos de infeção pelo novo coronavírus, que causou 14 mortos.

A Guiné Equatorial, que integra a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), mantém há várias semanas 3.071 casos e 51 mortos, segundo o África CDC, embora as autoridades equato-guineenses relatem menos casos positivos (2.350) e o mesmo número de falecimentos.

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egito em 14 de fevereiro e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infeção, em 28 de fevereiro.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 627 mil mortos e infetou mais de 15,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.