Pompeo acusa OMS de se deixar ‘comprar’ pela China

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, acusou o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) na terça-feira de ter-se deixado “comprar” pela China – noticiaram vários jornais britânicos nesta quarta-feira (22).

Segundo o Times e o Daily Telegraph, Pompeo fez essas observações ontem em Londres, durante um encontro com parlamentares britânicos fechada à imprensa.

De acordo com os participantes da reunião citada pelos jornais, Pompeo disse que as falhas da OMS, que ele chamou de organização “política”, e não científica, levaram a “mortes britânicas”.

O Reino Unido registrou mais de 45.000 mortes por COVID-19 até o momento.

“Quando chegou a hora, quando realmente importava mais”, as pessoas morreram “pelo acordo que foi feito”, disse Pomeo, segundo o Daily Telegraph, acusando o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, de ter-se deixado “comprar”.

“A OMS não está a par dessas declarações, mas rejeitamos qualquer ataque pessoal, ou alegação infundada”, disse ao Daily Telegraph um porta-voz da organização, que pede que os países continuem concentrados em enfrentar a pandemia.

Durante sua visita a Londres, o secretário de Estado americano pediu ao mundo que enfrente a China.

Depois de passar pelo Reino Unido, Mike Pompeo chegou a Copenhague na manhã de quarta-feira, onde deve se reunir com a primeira-ministra Mette Frederiksen e com o ministro das Relações Exteriores da Dinamarca, Jeppe Kofod.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.