EUA oferecem recompensa por captura de presidente do Supremo Tribunal

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Os Estados Unidos anunciaram hoje uma recompensa de cinco milhões de dólares (4,37 milhões de euros) por informações que levem à detenção e ao julgamento do presidente do Supremo Tribunal de Justiça venezuelano, Maikel Moreno.

Num comunicado, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, acusou também Moreno, considerado próximo do regime de Caracas, e mulher, de envolvimento numa “corrupção significativa”.

Pompeo afirmou que Maikel recebeu “subornos para influenciar o resultado” de casos criminais e civis na Venezuela e foi acusado pela justiça norte-americana por “branqueamento de capitais”.            

“[Nos últimos anos, Maikel] recebeu pessoalmente ‘luvas’ em dinheiro e em bens materiais para influenciar processos civis e criminais”. Recebeu ‘luvas’ em troca de decisões judiciárias”, favorecendo a libertação de vários réus ou a classificação de certos casos, acrescentou o secretário de Estado norte-americano.

Na “lista negra” do Tesouro norte-americano desde maio de 2017, o presidente do Tribunal Supremo de Justiça venezuelano juntou-se hoje, tal como a mulher, à do Departamento de Estado por “corrupção”.

A decisão “reafirma o empenho dos Estados Unidos no combate à corrupção e ao crime organizado transnacional na Venezuela”, sublinhou Pompeo.

O Governo de Donald Trump tem multiplicado as sanções e as pressões sobre dirigentes políticos da Venezuela para tentar afastar do poder o Presidente venezuelano, Nicolas Maduro, a quem Washington não reconhece legitimidade.

Nicolas Maduro sucedeu a Hugo Chávez ao assumir interinamente a Presidência da República em 2012.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.