Pequim faz advertência sobre porta-aviões britânico no Pacífico

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O embaixador da China no Reino Unido, Liu Xiaoming, instou neste sábado o governo britânico a desistir de seu projeto de implantar um porta-aviões no Pacífico, enfatizando que seria um “passo muito perigoso” que poderia agravar as relações já tensas entre ambos países.

O Times disse nesta semana que o Reino Unido considerava a possibilidade de enviar o HMS Queen Elizabeth “para o Extremo Oriente” como parte de uma aliança internacional para conter a China.

O porta-aviões participaria de exercícios militares com o Japão e os Estados Unidos.

As relações entre os governos chinês e britânico são tensas desde que a China impôs uma lei de segurança nacional em Hong Kong e o Reino Unido excluiu a gigante chinesa de telecomunicações Huawei de sua rede 5G, depois de meses de pressão dos Estados Unidos.

O Reino Unido denunciou como “violação manifesta” da autonomia de Hong Kong a lei imposta pela China à ex-colônia britânica, que prevê a punição de atividades separatistas, subversão e interferência estrangeira no território autônomo chinês.

Em resposta, o governo britânico prometeu expandir os direitos de imigração e, finalmente, o acesso à cidadania britânica para milhões de habitantes do território, uma medida que Pequim denuncia como “interferência grosseira” em seus assuntos internos.

Nathan Law, ativista pró-democracia de Hong Kong, explicou ao Times que está exilado em Londres após a entrada em vigor desta lei, para “preservar uma voz fora de Hong Kong que possa falar livremente em nome do povo de Hong Kong”.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.