África supera 700 mil infeções e regista quase 15 mil mortos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

África superou hoje a barreira dos 700 mil infetados por covid-19 e regista 14.937 mortos, mais 538 casos que na sexta-feira, segundo os dados mais recentes sobre a pandemia no continente.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número de casos positivos subiu para 701.573 (mais 37.522, nas últimas 48 horas), enquanto mais 23.799 pessoas foram consideradas curadas, totalizando hoje 369.120 o número de recuperações.

A África Austral regista o maior número de casos (364.073) e 5.221 mortos, a grande maioria concentrada na África do Sul, o país com mais infetados e mais mortos em todo o continente, com 350.879 casos e 4.948 vítimas mortais.

O Norte de África é a região com mais mortes (5.836), tendo 135.534 infeções.

A África Ocidental contabiliza 106.066 casos, que resultaram em 1.691 mortos.

Já a África Oriental tem 52.998 casos, incluindo 1.332 vítimas mortais, enquanto na África Central há 857 mortos e 42.902 infeções.

Depois da África do Sul, o Egito é o segundo país com mais vítimas mortais (4.251) e 87.172 casos, seguindo-se a Argélia, com 1.068 mortos e 22.549 infetados.

Entre os cinco países mais afetados, está também a Nigéria, com 778 mortos e 36.107 casos positivos, e o Sudão, que mantém há alguns dias 668 mortes e 10.527 casos.

Em relação aos países africanos lusófonos e segundo dados das autoridades locais, Cabo Verde é o que tem mais infeções (2.014, dos quais 21 mortes), enquanto Angola lidera em termos de vítimas mortais (29 mortos entre os 687 casos diagnosticados).

A Guiné-Bissau regista 1.949 casos positivos, que resultaram em 26 mortes, enquanto Moçambique contabiliza 1.455 casos e dez vítimas mortais.

Já São Tomé e Príncipe tem 741 casos de infeção pelo novo coronavírus, que causou 14 mortos.

A Guiné Equatorial, que integra a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), mantém há vários dias 3.071 casos e 51 mortos, segundo o África CDC, embora as autoridades equato-guineenses relatem menos casos positivos (2.350) e o mesmo número de falecimentos.

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egito em 14 de fevereiro e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infeção, em 28 de fevereiro.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 600 mil mortos e infetou mais de 14,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.