Exonerado secretário de Estado da Agricultura e Pecuária

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O secretário de Estado para a Agricultura e Pecuária, José Carlos Lopes da Silva Bettencourt, foi exonerado a seu pedido, segundo uma nota da Casa Civil do Presidente da República, João Lourenço.

Para o seu lugar, o titular do poder executivo nomeou João Manuel Bartolomeu da Cunha, que era administrador executivo do Banco de Desenvolvimento de Angola-BDA.

Angola enfrentou no mês passado uma crise sanitária relacionada com a morte de várias cabeças de gado, proveniente do Chade, que seria entregue faseadamente para pagar uma dívida de 100 milhões de dólares (87,8 milhões de euros).

O Governo angolano confirmou, a 23 de junho, a morte de 385 bovinos de um lote de 4.351 depois de notícias divulgadas por órgãos de comunicação social e redes sociais dando conta da morte dos animais por doença não identificada.

Segundo o Ministério da Agricultura e Pescas, o primeiro lote de 1.167 animais chegou a Angola no mês de março e foi instalado num centro de quarentena no Complexo da Agro-Quiminha, na província de Luanda, numa área de 140 hectares, para a observação e rastreio de doenças, tendo chegado até aquela altura ao país 4.351 cabeças de gado referentes à primeira fase do processo.

Os bovinos foram observados na Quiminha por técnicos do Instituto dos Serviços de Veterinária e Instituto de Investigação Veterinária, tendo sido realizadas várias intervenções aos animais, nomeadamente a recolha de amostras de sangue e fezes para o despiste de doenças como hemoparasitoses e endoparasitoses, assim como outros testes laboratoriais.

Num comunicado de imprensa, o ministério revelou que foram entregues aos beneficiários do programa agropecuário que está a ser implementado no Planalto de Camabatela 2.050 animais.

No entanto, 27 morreram durante o transporte e 358 nas fazendas destinatárias, devido a “deficiências constatadas nas infraestruturas”, adianta o ministério sem explicitar a causa da morte, salientando que a situação está a ser corrigida, “visando criar condições para os futuros recebimentos”.

As autoridades angolanas admitem ainda que começaram a surgir algumas doenças no centro de quarentena, sobretudo nos últimos lotes, que exigiram análises de confirmação laboratorial. As amostras (228) foram enviadas para a Namíbia, tendo 57 apresentado resultado positivo para pneumonia contagiosa dos bovinos.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.