Angola sem ruptura de bens alimentares

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O ministro da Industria e Comércio, Victor Fernandes, assegurou nessa terça-feira que o país não tem ruptura de stock de produtos alimentares, pelo que não há justificação para especulação de preços.

Em entrevista à TPA, Victor Fernandes fez saber que as entidades inspectivas, que ainda funcionam, junto com a polícia estão atentas aos movimentos especulativos de formas a agir com toda força da lei.

“Neste momento não há nenhuma razão objectiva para o aumento dos preços, Há naturalmente alterações de preços devido à inflação isso é perfeitamente normal no mercado funcional mas não para o aumento vertiginoso e especulativo dos preços”, disse.

Adiantou que a produção nacional tem espaço para ser canalizado desde que se diminua ou até mesmo extinguir a importação de bens essenciais criando critérios para atrair investimento privado.

“O primeiro passo será deixar de importar. Os critérios de atração de investimento podem trazer as empresas americanas, as maiores importadoras de frango, para Angola produzir os frangos, deixando assim de importar esse produto”, exemplificou.

Sobre a cesta básica, o responsável defende um replanejamento adicionando produtos produzidos em ambulância no país diminuindo os custos com divisas para aquisição da mesma.

Em Angola, referiu, se produz a mandioca,a batata doce, a banana pão, temos a ginguba porquê que a nossa cesta básica tem que ser constituída por arroz, massa e o açúcar.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.