Repatriados mais de sete mil cidadãos da RDC

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Sete mil 471 cidadãos da República Democrática do Congo (RDC) foram detidos e repatriados para o país de origem, nos últimos dois meses, numa operação conjunta entre a Polícia de Guarda Fronteira (PGF) e o Serviço de Migração e Estrangeiros (SME), na província da Lunda Norte, por violação da fronteira.

No âmbito da prevenção e combate à propagação e/ou importação de casos positivos da Covid-19, o Governo angolano impôs medidas, entre as quais o encerramento das fronteiras terrestres, marítimas e aéreas, permitindo apenas a circulação de viaturas que transportam produtos da cesta básica, fármacos e material de construção.

Mesmo com estas restrições, as forças de defesa e segurança de Angola têm enfrentado inúmeros desafios no que a imigração diz respeito, porque os imigrantes congoleses usam caminhos “fiotes” (de difícil acesso e visibilidade) para atingir o território da Lunda Norte.

Tal situação, segundo o delegado do Interior na Lunda Norte, Alfredo Quintino “Nilo”, que intervinha na reunião da coordenação dos órgãos que intervém na administração da Justiça, tem obrigado as autoridades angolanas a redobrarem as estratégias de vigilância e de patrulhamento, com o aumento de número de agentes.

Reiterou que as zonas de exploração de diamantes continuam a ser os principais destinos destes migrantes.

Contrabando

No mesmo período, foram apreendidos 4.375 litros de combustível (gasolina e gasóleo), pela Polícia de Guarda Fronteira (PGF), nas fronteiras de Tchissanda e Tchicolondo, municípios de Chitato e Cambulo, respectivamente.

A frustração, de acordo com o também comandante da Polícia Nacional na Lunda Norte, resultou de uma operação ao longo do posto fronteiriço, quando os proprietários tentavam atravessar a fronteira, em direcção à República Democrática do Congo (RDC), para a sua comercialização.

A província da Lunda Norte partilha uma fronteira de 770 quilómetros com a RDC, um dos primeiros países africanos a diagnosticar casos positivos da Covid-19.
 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.