Caso suspeito na Huíla acusou negativo

Caso suspeito na Huíla acusou negativo

A contra- análise de biologia molecular que se fez a amostra positiva diagnosticada quinta-feira última na Huila, por via do teste rápido, acusou negativo, livrando a província da covid-19.

A informação foi avançada hoje, em Luanda, pelo secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, na habitual actualização da pandemia das últimas 24 horas, em Angola.

“O caso reactivo da Huila foi negativo”, disse, reafirmando que “desta forma só há covid-19 em Luanda e no Cuanza Norte”.

Na quinta-feira (9), realizou-se na província da Huila testes rápidos a 12 pessoas sob cerca no “Novo Hotel” do Lubango, 10 idas de Luanda (trabalhadores da Prodel) e duas do Cuando Cubango (viajantes).

Um teste desse universo resultou em “análise de sensibilidade positiva” e foi enviada a Luanda para a confirmação pelo laboratório molecular de referência, na capital angolana.

Ainda sobre os testes rápidos, Franco Mufinda informou que o balanço será feito no domingo, altura em que termina o processo, mas, até ao momento, demonstrou que 89 por cento das pessoas testadas expressaram imunidade, ou seja, já tiveram contacto com a covid-19 e se curaram.

“São poucas pessoas que têm a doença activa e muitos menos ainda são cidadãos com a patologia em estado de desenvolvimento. Amanhã se vai testar o pessoal do mercado do ASA-Branca”, disse, depois de se iniciar com teste massivo nos mercados do Catinton, 30, Kikolo e, hoje (sexta-feira), no bairro do Mártires, em Luanda.

O Instituto Nacional de Investigação em Saúde (INIS), já processou 34 mil 392 amostras, das quais 462 positivas, 29 mil 619 negativas e restante em processamento. Nas últimas 24 horas processou-se 1586 amostras, com quatro positivos.

Em quarentena institucional estão 830 pessoas, duas mil e 332 são contactos sob vigilância e 572 casos suspeitos investigados.  

O país conta, até ao momento,  com 462 infectados, 23 óbitos, 118 recuperados e 321 casos activos.

Fonte: Angop

Close Menu