Doenças respiratórias matam 75 crianças na Caála

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Setenta e cinco menores de 15 anos morreram, nos primeiros seis meses deste ano, no hospital municipal da Caála (Huambo), vítimas de doenças respiratórias agudas, quando em igual período de 2019 o número foi de 48 óbitos.

Ao confirmar o facto esta quinta-feira à ANGOP, a directora da maior unidade hospitalar da municipalidade, Beatriz Canguelengue, informou que neste período  foram diagnosticados sete mil e 73 casos positivos, quando em 2019 registou-se quatro mil e 673 doentes.

A responsável referiu que, preocupados com o aumento de casos, os profissionais desta unidade sanitária decidiram envolver a população nas estratégias de prevenção epidemiológica, através da disseminação de informações sobre os cuidados primários de saúde e, ao mesmo tempo, intensificar as palestras sobre o saneamento básico nas comunidades.

Beatriz Canguelengue informou que, por este motivo, antes das consultas médicas são feitas campanhas de sensibilização em volta da acção participativa da população na prevenção epidemiológica, assim como sobre a responsabilidade social das famílias, no combate as endemias nas comunidades.

Outra preocupação, acrescentou a responsável, está relacionada com o facto de muitos pais e encarregados de educação levaram os doentes tardiamente ao hospital, daí o número elevado de mortes, com destaque ainda para pacientes dos municípios do Ecunha, Longonjo e Ucuma (Huambo) e de algumas localidades das províncias de Benguela e da Huíla.

Por isso, Beatriz Canguelengue defendeu a necessidade da ampliação dos serviços médicos e consciencializar da população a conhecer melhor os cuidados primários de saúde,para prevenir-se das várias doenças em tempo oportuno.

O hospital municipal da Caála, criado em 1970, presta serviços em várias especialidades, entre as quais pediatria, obstetrícia, estomatologia, nutrição, hemoterapia, ginecologia, cirurgia, saúde mental, oftalmologia, ortopedia, cirurgia e otorrinolaringologia.

Com quatro comunas (Calenga, Catata, Cuima e Sede), que perfazem uma extensão territorial de três mil e 680 quilómetros quadrados, o Sistema de Saúde no município da Caála, onde vivem 342 mil e 463 habitantes, conta 31 unidades sanitárias, assegurado por 532 funcionários, 18 dos quais médicos.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.