Angola regista mais de 100 casos de tráfico de seres humanos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A secretária de Estado para os Direitos Humanos e Cidadania, Ana Celeste Januário, deu a conhecer, nesta quarta-feira, o registo de mais de 100 casos de tráfico de seres humanos no país.

A responsável, que falava numa palestra enquadrada na jornada comemorativa do Dia Internacional de Combate ao Tráfico de Seres Humanos, adiantou, sem quantificar números, terem sido remetidos, em tribunal, para julgamento, alguns implicados para responsabilização criminal. 

“As fronteiras angolanas registam um intenso movimento de entrada e  saída de pessoas, propiciando, de certa forma, alguma facilidade para os traficantes”, realçou.

Ana Celeste Januário aconselha à população, sobretudo a juventude, para o uso correcto das redes sociais, evitando contacto com estranhos, por ser também um meio utilizado pelas redes de tráfico de seres humanos.

Conforme a responsável, as autoridades angolanas têm promovido diversas actividades de combate ao tráfico de seres humanos, entre as quais acções formativas para sensibilizar os cidadãos sobre o perigo.

 Por seu turno, o secretário de Estado para a Juventude, Fernando Francisco João, realçou que o tráfico de seres humanos constitui um grave atentado aos direitos humanos.

Precisou que estudos apontam que as principais vítimas, na maior parte dos casos, são mulheres e crianças.

Fernando João, acrescentou, por outro lado, que o desafio exige a participação de toda sociedade civil, com uma estratégia que passa pela informação e a formação das pessoas para identificar, com clareza, esses crimes e denuncia-los atempadamente aos órgãos competentes.

A actividade contou com a participação de representantes dos Serviços de Jesuítas para Refugiados (JRS) e de ACNUR e da classe juvenil e religiosa.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.