África do Sul ultrapassa 3.300 mortos e é o quinto país com mais casos ativos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A pandemia de covid-19 na África do Sul, o quinto país do mundo com mais casos ativos, ultrapassou as 3.300 mortes e os 200 mil contágios devido à propagação em Pretória e Joanesburgo nas últimas duas semanas.

De acordo com os últimos dados divulgados pelo Ministério da Saúde local, o país da África Austral regista já 205.721 contágios e 3.310 mortos, existindo ainda 97.848 pessoas que recuperaram da doença.

A África do Sul mantém-se o país mais afetado pelo novo coronavírus em todo o continente, representando cerca de 40% de todos os casos em África.

O aumento de casos registado durante o mês de junho colocou a economia mais industrializada do continente no quinto lugar dos países com mais casos ativos do mundo, acima de 100 mil, e na quarta posição da lista de países com mais novos contágios diários, entre 8 mil e 10 mil por dia.

Segundo a agência de notícias espanhola, Efe, a taxa de mortalidade do vírus mantém-se baixa, nos 1,6%, e a percentagem de hospitalizações está abaixo da estimativa do próprio Ministério da Saúde.

“Apesar de a taxa de mortalidade da covid-19 ser baixa na África do Sul quando comparada com o resto do mundo, o aumento do número de infeções é uma advertência contra a complacência”, alertou o Presidente, Cyril Ramaphosa, num discurso à nação no início desta semana.

No início da pandemia, em março, a região da Cidade do Cabo era o foco dos contágios, mas a saída do isolamento fez com que o número de infeções seja agora maior na província de Gauteng, que é o centro político e económico do país, e onde estão Pretória e Joanesburgo.

A África do Sul prevê que a propagação da pandemia de covid-19 e as consequências do isolamento e das medidas de distanciamento social empurrem a economia para uma recessão de 7,2%, o valor mais elevado dos últimos 100 anos.

“Não estamos a considerar o regresso ao confinamento agora; estamos a usar o resto das ferramentas; o que temos de fazer é proteger as nossas vidas, mas também os meios de subsistência, e este é um equilíbrio delicado”, explicou o Presidente, respondendo a especulações sobre o regresso ao confinamento domiciliário.

O número de mortos devido à covid-19 em África subiu na segunda-feira para 11.360, mais 274 nas últimas 24 horas, e há mais de 476 mil infetados, segundo os números mais recentes sobre a pandemia no continente.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número de infetados subiu para 476.509, mais 13.203 nas últimas 24 horas, enquanto o número de recuperados é hoje de 227.376, mais 5.072.

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egito em 14 de fevereiro e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infeção, em 28 de fevereiro.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 531 mil mortos e infetou mais de 11,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.