Ministério da Saúde avança com testes serológicos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, anunciou, neste domingo, em Luanda, a realização de teste serológico aos habitantes das zonas com casos positivos da Covid-19, para se aferir o estado da imunidade do grupo alvo.

O referido teste, usado para rastreio em todo mundo e pela organização Mundial da Saúde (OMS), serve para saber qual é a prevalência de pessoas com imunidade numa população e a partir da prevalência dos imunes se ter uma perspetiva da prevalência de infetados.

Anunciado em conferência de imprensa de actualização da cCovid-19 nas últimas 24 horas, o teste serológico permite as autoridades sanitárias estabelecer duas situações, uma das quais é a pessoa ter os anticorpos e não estar infetada (contraiu o vírus, eliminou a infeção e desenvolveu imunidade).

A outra possibilidade do teste, que serve igualmente para aferir o grau de exposição ao novo coronavírus, é a pessoa ser seropositiva, ter os anticorpos, e ainda ter o vírus mas em processo de eliminação.

Conforme a ministra, os testes para a Covid-19 são obrigatórios, sobretudo em pessoas ou zonas suspeitas da doença, desincentivando atitudes de cidadãos que tendem a resistir ao processo de testagem, perigando a situação sanitária da maioria.

“Os testes são feitos a uma população bem diferenciada. Não será para toda gente”, assegurou.

A também porta-voz da Comissão Multisectorial de Resposta à Covid-19 alertou a população para evitar testes rápidos do novo coronavírus na clínica MEDITECH, por não estar credenciada pelo Instituto Nacional de Investigação em Saúde (INIS) e tão pouco aprovados.

O país conta 353 infectados no país, com 19 óbitos, 108 pacientes recuperados e 226  acasos activos.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.