Médicos cubanos apoiam Guiné Equatorial e São Tomé e Príncipe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Cerca de uma centena de médicos e enfermeiros cubanos chegaram hoje à Guiné Equatorial para ajudar no combate à covid-19 no país, mas também em São Tomé e Príncipe, para onde seguirá parte destes profissionais, foi hoje divulgado.

Segundo informação divulgada pela representação cubana na Guiné Equatorial, chegaram hoje a Malabo 76 profissionais de saúde da Brigada Médica Cubana (BMC) “Henry Reeve” no âmbito da cooperação bilateral na luta contra a covid-19.

Na mesma altura chegaram mais 16 médicos e enfermeiros cubanos que seguirão para São Tomé e Príncipe e outros 19 que irão apoiar os esforços de combate à doença na Serra Leoa.

Os médicos foram recebidos no aeroporto pelo vice-ministro da Saúde da Guiné Equatorial, Mitoha Ond’o.

Médicos e enfermeiros cubanos estão a apoiar os esforços de combate à covid-19 em vários países africanos, incluindo nos países lusófonos.

Em finais de junho, chegaram à Guiné-Bissau 23 profissionais de saúde cubanos, tendo o embaixador de Cuba em Moçambique anunciado igualmente a deslocação para este país de uma equipa de 60 médicos e enfermeiros.

Desde abril, estão em Angola 244 médicos cubanos a apoiar no combate à pandemia.

O número de mortos devido à covid-19 em África subiu hoje para 11.360, mais 274 nas últimas 24 horas, e há mais de 476 mil infetados, segundo os números mais recentes sobre a pandemia no continente.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número de infetados subiu para 476.509, mais 13.203 nas últimas 24 horas, enquanto o número de recuperados é hoje de 227.376, mais 5.072.

A África Austral regista o maior número de casos (203.861) e contabiliza 3.297 mortos, a grande maioria concentrada na África do Sul, o país com mais infetados em todo o continente (196.750) e que regista 3.199 vítimas mortais.

O Norte de África lidera no número de mortes (4.736), tendo 112.413 infeções.

A África Ocidental conta 1.426 mortos em 84.409 infetados, a África Oriental regista 1.131 vítimas mortais em 39.823 casos, enquanto na África Central há 770 mortos em 36.003 infeções.

Entre os países africanos lusófonos, a Guiné-Bissau é o que tem mais infeções e mortes, com 1.765 casos e 25 vítimas mortais.

Cabo Verde tem 1.451 infeções e 17 mortos, enquanto Moçambique conta 987 infetados e oito mortos.

São Tomé e Príncipe contabiliza 719 casos e 13 mortos e Angola tem 353 casos confirmados de covid-19 e 19 mortos.

A Guiné Equatorial, que integra a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), tem 3.071 casos e 51 mortos, segundo o África CDC.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 531 mil mortos e infetou mais de 11,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.