Zaire defende divulgação do património mundial

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Cidadãos da província do Zaire defenderam, este sábado, maior divulgação da cidade de Mbanza Kongo como património cultural da humanidade.

Participantes a uma mesa redonda sobre valorização e preservação do património mundial concluiram haver pouco conhecimento, por parte dos citadinos, sobre o carácter excepcional dos atributos materiais e imateriais desta localidade, que lhe valeram a inscrição, em 2017, pela UNESCO no universo dos patrimónios.

Consideram faltar diálogo e interacção entre as autoridades tradicionais e a nova geração para a transmissão de conhecimentos, e do “legado”, sobre a herança cultural desta região do país.

Isabel Morena, ex-administradora municipal, Agnelo Alberto (em representação da juventude local), e o reverendo Isaías Timóteo convergiram na necessidade de se divulgar mais o património local, realizando-se colóquios, dada a sua importância histórica.  

Apelam aos académicos e a população, em geral, para comprometerem-se e engajarem-se nesta tarefa, assim como solicitam a actualização do roteiro e guia turísticos da cidade.

Organizada pela rádio local, a mesa redonda enquadra-se nas comemorações do 2º aniversário desde a elevação da cidade à património mundial, a assinalar-se no próximo dia oito. Para tal, contribuiu o seu acervo material e imaterial, com realce para sítios arqueológicos, monumentos históricos, línguas, religião, dança e rituais.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.