Igape avalia candidaturas para activos agro-industriais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Instituto de Gestão dos Activos e Participações do Estado (IGAPE) começa a avaliar, nos próximos dias, a capacidade dos investidores interessados na alienação de um total de 12 activos agro-industriais dispersos em algumas províncias do país.

O prazo de recepção dos documentos de candidatura dos investidores fecha já nesta sexta-feira (dia 03 de Julho), após o seu lançamento no dia 18 de Maio último.

Findo prazo, a comissão técnica começa avaliar a regularidade das candidaturas dos investidores, passando por uma revisão dos documentos se conferem a autencidade exigida.  

Sem precisar números, o coordenador da comissão de negociação do IGAPE, Ulica Bravante, disse nesta quarta-feira, em video conferência, que são muitos os investidores interessados na alienação dos complexos de Silos de Caconda e Matala (Huíla), da Caála (Huambo), de Catabola (Bie), da Ganda (Benguela).  

A lista de empresas integra ainda complexo agro-industrial do Cubal, o entreposto frigorífico do Dombe Grande (Benguela), do Namibe, as fabricas de processamento de Tomate do Dombe Grande (Benguela) e do Namibe e matadouro modular de Malanje.  

Durante a conferência de esclarecimento dirigida aos investidores interessados no concurso público de alienação, Ulica Bravante referiu que o resultado deste processo de avaliação vai levar a habilitação do investidor a concorrer na alienação dos activos ou a emissão de uma notificação, caso se verifique a necessidade de se melhorar os documentos emitidos, uma situação que levara a emissão de uma nota condicional a corrida.  

“A fase de avaliação dos documentos de candidatura não durará mais de uma semana independente do número de investidores”, asseguro o responsável.  

Após a avaliação, os candidatos habilitados ao concurso serão notificados pelo Igape.

Após este processo de habilitação, prosseguiu, os candidatos serão notificados para apresentação das propostas que comportará componentes ligadas a corporação ( modelo de organização da empresa), técnica (plano de negócio) e a proposta financeira (planos de pagamento).  

Já o processo de privatização, em curso desde o dia 12 de Junho, das fazenda do Longa ( Cuando Cubango), Cuimba (Zaire), Sanza Pombo (Uíge), do Pungo Andongo e a do Quizenga (Malanje) esta última, exclusivamente destinada à produção de algodão, o  prazo da entrega das candidaturas para os referidos activos, encerra dia 13 deste mês,

Actualmente, 45 activos e participações do Estado encontram-se em alienação, sendo 13 na Zona Económica Especial (ZEE) Luanda/Bengo, 12 activos agro-industriais, três fábricas têxteis, igual número de cervejeiras, cinco fazendas e nove da Sonangol.  

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.