Milhares de imigrantes tentam entrar todos os dias no país de forma ilegal

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Apesar das restrições impostas pelo Governo angolano, para travar a proliferação da Covid-19, milhares de imigrantes da República Democrática de Congo continuam a tentar, todos os dias, entrar na Lunda Norte, de forma ilegal.

Só no período de Março a Junho deste ano, nove mil e 494 tentativas de violação da fronteira foram registadas pelas autoridades policiais naquela localidade do Leste do país.

Conforme as autoridades migratórias locais, os nove mil 494 foram detidos e repatriados para o seu país de origem, através dos postos fronteiriços de Chissanda e Tchicolondo.

Para entrar na Lunda Norte, os imigrantes escolhem um ponto coberto de vegetação, com menor e/ou quase sem visibilidade das forças de defesa, por onde tentam invadir os marcos fronteiriços.

Saídos de localidades que consideram ter altos índices de pobreza, os imigrantes têm como meta fixar-se nas zonas de exploração diamantifera dessa província do Leste.

As tentativas de invasão da fronteira ocorrem, geralmente, à noite, período em que tentam driblar a guarda fronteiriça, atravessando zonas desabitadas com altos riscos de morte.

São, maioritariamente, jovens com idades compreendidas entre os 18 e 35 anos de idades, que se fazem acompanhar de crianças.

De acordo com as autoridades da Luanda Norte, os imigrantes ilegais tentam entrar a qualquer preço no país.

A presença destes ao redor da fronteira continua considerável, apesar das medidas de restrição impostas pelas autoridades angolanas, para prevenir novos casos de Covid-19.

Desde o dia 27 de Março, no âmbito da prevenção e combate à doença, as autoridades impuseram medidas, entre as quais o encerramento das fronteiras terrestres.

Com este passo, foi reforçado o número de agentes da Policia de Guarda Fronteira, Forças Armadas Angolanas e da Polícia de Intervenção Rápida, para travar  tentativas de violação da extensa fronteira entre Angola e RDC.

Nesse trabalho, as forças estão a utilizar equipamentos modernos para fiscalização eventuais entradas ilegais de produtos e imigrantes daquele país.

Para a melhoria do serviço operativo, segundo o comandante da 7ª Unidade da Policia de Guarda Fronteira na Lunda Norte, Lourenço Filipe, impõe-se a criação de picadas, nos principais pontos, já identificados, utilizados pelos migrantes para entrar no país.

Lourenço Filipe disse que os postos do Furi-3 e Txumo, municípios do Chitato e Cambulo, são os que mais registaram casos de violação de fronteira, por serem zonas de exploração de diamantes, principal atracão dos imigrantes.

Disse que a estratégia dos mesmos varia de acordo com a actuação das forças, exigindo a mudança de tácticas para contrapor toda a  “engenharia” destes.

Apontou como principal dificuldade o auxilio de alguns cidadãos angolanos que abrigam os estrangeiros ilegais, passando-se por parentes.

Desde o encerramento das fronteiras terrestre, a Policia de Guarda Fronteira na Lunda Norte deteve e repatriou mais de seis mil estrangeiros da RDC, que tentaram entrar, utilizando, caminhos “fiotes”.

Além da missão de assegurar a inviolabilidade das fronteiras, a PGF tem estado a combater neste período outros crimes transfronteiriços, como o contrabando de combustíveis, tráfico ilícito de moedas nacionais e estrangeiras.

Recentemente, a PGF frustrou uma tentativa de contrabando de 29 mil litros de combustível, no posto fronteiriço do Marco 5, tendo resultado na apreensão de quatro viaturas e um milhão, 475 mil kwanzas.

Aumento do efectivo

Tendo em conta as constantes violações, recentemente o comandante-geral da Polícia Nacional (PN), Paulo de Almeida, em visita à província da Lunda Norte, anunciou o aumento do número de efectivos da Polícia de Guarda Fronteira, atraves de recrutamentos.

A província da Lunda Norte partilha uma fronteira de 770 quilómetros com a RDC.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.