Irão ultrapassa a barreira das 200.000 pessoas infetadas

Irão ultrapassa a barreira das 200.000 pessoas infetadas

O Irão ultrapassou a hoje a barreira dos 200.000 casos de contágios pela covid-19, indicaram as autoridades que concederam às províncias o direito de restabeleceram de forma autónoma as restrições para combater a propagação do vírus.

A porta-voz do Ministério da Saúde, Sima Sadat Lari, referiu-se a 2.615 novos casos nas últimas 24 horas, elevando para 200.262 o número total de pessoas infetadas.

Em conferência de imprensa transmitida pela televisão, Lari referiu-se a mais 120 mortes no mesmo período, com um total de 9.292 óbitos no país, e apelou à população para respeitar as normas sanitárias, em particular o distanciamento social.

Hoje, seis das 31 províncias do Irão — Azerbaijão Oriental (noroeste), Buchehr e Hormozgan (sul), Kermanchah (oeste), Khuzestão (sudoeste) e Sistan-Baluchistão (sudeste) — receberam a classificação de “vermelho”, o nível de alerta mais elevado relacionado com o risco de propagação da doença.

“Cada província pode decidir por si própria” o restabelecimento das restrições para combater a pandemia, anunciou na televisão estatal o vice-ministro da Saúde, Hossein Erfani.

O Irão nunca decretou o confinamento obrigatório da população mas encerrou escolas, anulou eventos públicos e em março proibiu as deslocações entre as províncias, antes de iniciar em abril um levantamento progressivo das restrições.

País do Médio Oriente mais atingido pela pandemia de covid-19, o Irão registou o seu mais baixo balanço diário no início de maio, antes de ser confrontado nas últimas semanas com um novo aumento, fazendo recear uma segunda vaga epidémica, uma perspetiva refutada pelas autoridades.

As estatísticas do Governo foram por diversas vezes questionadas por peritos estrangeiros e por alguns responsáveis iranianos, que admitem estar subestimadas.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 450 mil mortos e infetou mais de 8,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (118.434) e mais casos de infeção confirmados (cerca de 2,2 milhões).

Seguem-se o Brasil (47.748 mortes, mais de 978 mil casos), Reino Unido (42.288 mortos, mais de 300 mil casos), a Itália (34.514 mortos e mais de 238 mil casos), a França (29.603 mortos, mais de 195 mil casos) e a Espanha (27.136 mortos, mais de 244 mil casos).

A Rússia, que contabiliza 7.638 mortos, é o terceiro país do mundo em número de infetados, depois dos EUA e do Brasil, com mais de 560 mil, seguindo-se a Índia, com mais de 366 mil casos e 12.237 mortos.

Fonte: Lusa

Close Menu