São Tomé e Príncipe regista mais 12 novos casos e sobe total para 683

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

São Tomé e Príncipe registou hoje mais 12 novos casos positivos de covid-19, aumentando para 683 o número de infeções acumuladas no país, indicou o Ministério da Saúde.

De acordo com o boletim diário relativo à situação do novo coronavírus em São Tomé e Príncipe, hoje divulgado pela porta-voz do ministério, Isabel dos Santos, foram realizados nas últimas 24 horas, 52 testes rápidos, “12 dos quais deram positivos”.

Os casos recuperados aumentaram para 188, e dois dos 14 pacientes que se encontravam internados no hospital de campanha, que funciona no Centro de Estágio da Federação São-tomense de Futebol, receberam alta.

O boletim indica ainda que o número de pessoas em isolamento domiciliar aumentou para 471.

Os pacientes suspeitos nos serviços sintomáticos respiratórios diminuiu para dois e o número de óbitos mantém-se em 12, enquanto o único cidadão que se encontrava em isolamento domiciliar na ilha do Príncipe retomou a sua vida normal.

Hoje, o Governo da Região Autónoma do Príncipe solicitou o apoio ao Governo central para a realização de testes de forma maciça na ilha.

“O Conselho do Governo da Região Autónoma do Príncipe solicita o apoio do Governo central para a realização de testagem massiva ou por grupos alvos, na Região Autónoma do Príncipe”, refere um comunicado deste órgão, assinado pelo assessor de imprensa, Teobaldo Cabral.

O executivo regional congratulou-se com a retoma das ligações, prevista para breve, entre as ilhas no âmbito do estado de calamidade pública, em vigor desde terça-feira no país, considerando que um controlo sanitário “muito rigoroso deverá ser implementado com a realização de testes adequados a todos os passageiros, mediante análise prévia e se possível imediata dos resultados”.

O comunicado acrescenta que o Conselho do Governo Regional manifestou “total apoio à mudança do estado de emergência [que vigorou durante 90 dias] para o estado de calamidade imposto pelo Governo central no quadro de um processo progressivo de desconfinamento” das populações.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné Equatorial lidera em número de infeções e de mortos (1.664 casos e 32 mortos), seguida da Guiné-Bissau (1.492 casos e 15 mortos), Cabo Verde (782 casos e sete mortos), São Tomé e Príncipe (683 casos e 12 mortos), Moçambique (651 casos e quatro mortos) e Angola (148 infetados e seis mortos).

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 443 mil mortos e infetou mais de 8,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.