Portugal recebe fase final da ‘Champions’ pela transparência no combate à covid-19 — PR

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Presidente da República defendeu hoje que Portugal foi escolhido para receber a fase final da Liga dos Campeões pelos seus méritos e pela transparência no combate à pandemia de covid-19, sem forjar números.

Marcelo Rebelo de Sousa falava numa cerimónia nos jardins do Palácio de Belém, em Lisboa, em que discursaram também o primeiro-ministro, António Costa, o presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina.

O chefe de Estado justificou a realização desta cerimónia, no dia em que a UEFA, união das federações europeias de futebol, anunciou que a fase final da Liga dos Campeões 2019/2020 se irá realizar em Lisboa, entre 12 e 23 de agosto, considerando que “este é um caso único e irrepetível” e que “não tem preço”, numa altura em que “todos os países disputam o regresso ao turismo internacional”.

“E aqui, já disse o senhor primeiro-ministro, António Costa, mas eu queria reforçar, Portugal tem autoridade moral, pela forma como conduzimos o combate à pandemia, mas agora pela forma transparente como continuamos a combater a pandemia. E digo transparente porque não escondemos a nossa vontade de testar e testar mais, porque não escondemos que esse testar mais significa determinados valores”, afirmou.

Segundo o Presidente da República, Portugal é recompensado pela “situação notável que se verifica no Serviço Nacional de Saúde (SNS) em termos de internamentos, e de internamentos em cuidados intensivos” e pela forma como prossegue o combate à covid-19 “sem forjar números, mantendo a transparência”.

“Nós mostramos tudo isto ao mundo. Não paramos o vírus de um dia para o outro como se ele não existisse. Não paramos a epidemia de um dia para o outro, como se ela estancasse – isso não existe, mas não existe em nenhum país do mundo”, acrescentou, concluindo: “Portanto, Portugal vence pelos seus méritos passados e pela sua transparência presente, ou seja, pelo mérito do SNS, dos profissionais de saúde e dos portugueses”.

Marcelo Rebelo de Sousa elogiou em particular o presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, dizendo-lhe que esta “é uma vitória pessoal” sua, e salientou também “o entusiasmo com que o senhor primeiro-ministro e a sua estrutura governamental acompanharam esta campanha”.

“Os portugueses merecem o que vão ter em agosto e é um orgulho para o Presidente da República Portuguesa ser testemunha de mais este triunfo de Portugal, em tempo devido, isto é, antes do termo do mandato”, declarou.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.