Nível da Albufeira da Barragem do Gove próximo do pleno

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A albufeira da barragem hidroeléctrica do Gove, na província do Huambo, está próxima de atingir a sua cota máxima de mil e 590 metros, ou seja o Nível Pleno de Armazenamento (NPA), um feito que não acontecia há oito anos.

Segundo o administrador da Empresa Nacional de Produção de Electricidade (Prodel), Pedro Afonso, que falava hoje à Angop, neste momento a albufeira está com uma cota de mil e 588,9 metros.

Segundo o gestor, o feito é resultado de uma melhor gestão definida pela equipa de operação do Gove e também da interligação com o sistema norte, a partir de Laúca que permite com que não se utilize toda a água do reservatório para turbinar as três máquinas de cada 20 MW.

Com o nível de água armazenado no reservatório, explicou que Gove pode fornecer até 60 MW, mas neste momento não necessita, daí que a terceira máquina está na reserva.

“As três estão operacionais, mas apenas duas estão sincronizadas na rede interligada, debitando cada 15 MW”, disse.  

Explicou que o reservatório só está a atingir o pleno agora, porque a barragem esteve a produzir energia a área adjacente, mas agora a interligação ao sistema norte permite que Gove pudesse recuperar a albufeira e ser útil principalmente neste período de estiagem.

Também está a desempenhar um grande papel que é de regular a quantidade de água que chega até a barragem da Matala (província da Huíla) e também que vai à Namíbia e fazer cumprir deste modo o acordo bilateral com a Namíbia, ou seja defluir entre 40 a 80 metros cúbicos por segundo, para que a Namíbia não ressinta por conta da qualquer produção a montante.

Enfatizou que actualmente a produção hídrica acaba por assumir-se como principal fonte para o fornecimento de energia em Angola e, por conta disso, o Estado vem poupando, desde 2017, com a colocação de centrais térmicas em “stand by” cerca de 30 mil milhões de kwanzas, com a redução de combustíveis diesel e consumíveis.

Esses recursos financeiros que se destinavam às térmicas acabam por ser investidos noutras áreas.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.