Agente policial de Atlanta demitido após morte de jovem negro

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Um agente da polícia de Atlanta foi despedido no sábado na sequência de um jovem negro ter sido morto a tiro palas forças policiais na cidade norte-americana.

Este anunciou surge na sequência da demissão da chefe da polícia de Atlanta, Erika Shields, após a morte de Rayshard Brooks, de 27 anos, que desencadeou uma nova onda de protestos em Atlanta, após as turbulentas manifestações que se seguiram à morte de George Floyd, em Minneapolis, terem acalmado.

O oficial agora demitido foi identificado como Garrett Rolfe, que foi contratado em outubro de 2013, e o oficial colocado em funções administrativas é Devin Bronsan, que foi contratado em setembro de 2018.

O serviço de polícia divulgou igualmente imagens de câmaras corporais.

Os manifestantes de sábado à noite atearam fogo ao restaurante Wendy’s, onde Brooks foi fatalmente atingido.

Rayshard Brooks tinha 27 anos e morreu na sequência dos disparos da polícia, na noite de sexta-feira junto de um restaurante “drive-thru” (onde se compra comida sem se sair do automóvel).

O caso, captado em vídeo e que circulou rapidamente nas redes sociais, acontece em plena vaga de protestos por causa da violência policial contra minorias, em particular contra os negros, desde que em 25 de maio a polícia de Minneapolis matou George Floyd, o que também foi captado em vídeo.

A demissão da chefe da polícia aconteceu pouco depois de ativistas locais terem exigido a renúncia de Erica Shields e de dezenas de pessoas se terem manifestado em Atlanta.

A polícia de Atlanta foi chamada ao restaurante e na sequência de uma luta com Rayshard Brooks este ter-se-á apoderado de um “taser” (arma que emite uma descarga elétrica) da polícia, sendo alvejado quando supostamente se preparava para o usar contra o polícia.

A polícia tinha sido chamada ao local devido a uma queixa de que um homem estava a dormir dentro de um carro no restaurante “drive-thru” e a bloquear a passagem de outras viaturas.

Segundo a polícia os vídeos mostram que o homem tentou lutar com os agentes quando o tentaram prender e que conseguiu tirar um “taser” a um deles. O homem terá depois tentado fugir e foi alvejado quando se voltou e terá apontado o “taser” ao agente.

O procurador da comarca de Fulton, Paul Howard, disse que já foi iniciada uma investigação “intensa e independente” do caso.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.