Jornalistas detidos em Moçambique por alegada “corrupção passiva” restituídos à liberdade

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Os dois jornalistas detidos, na segunda-feira, por alegada corrupção passiva na província de Sofala (Moçambique) foram hoje restituídos à liberdade, disse à Lusa fonte do Instituto da Comunicação Social da África Austral (Misa-Moçambique).

“O tribunal analisou o caso e constatou que não houve nenhum crime. Os dois foram restituídos à liberdade sem pagamento de caução”, disse à Lusa Ernesto Nhanale, diretor executivo do Misa, uma organização ligada à liberdade de imprensa e que patrocinou a assistência jurídica aos dois jornalistas.

Arsénio Sebastião, correspondente da Deutsche Welle (DW), e Jorge Malangaze, um jornalista ‘freelancer’, foram acusados pelo Gabinete de Combate à Corrupção de terem recebido subornos para não publicarem uma matéria relacionada com a violação das regras do estado de emergência num estabelecimento hoteleiro em Sofala, centro de Moçambique.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.