Angola com 12 novos casos positivos e um acumulado de 130 infeções

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Angola registou 12 novas infeções pelo novo coronavírus, elevando para 130 os casos positivos, com cinco óbitos e 42 recuperados, informou hoje a ministra da Saúde angolana, Sílvia Lutucuta.

Segundo a governante, os novos casos são de doentes entre os 11 e 92 anos, metade são importados da Rússia e os restantes de contaminação local, nomeadamente da cerca sanitária da Clínica Multiperfil (02) e do bairro Hoji Ya Henda (04).

Todos os novos casos positivos estão internados no Centro de Tratamento de Viana, na Zona Económica Especial, em Viana.

“Da Clínica Multiperfil temos um com 92 anos de idade, internado e assintomático, a sua doença de base já está controlada e, por esta altura, testou positivo e está estável”, referiu a ministra.

Ainda na Clínica Multiperfil foi registado um segundo caso entre profissionais de saúde, uma médica, que trabalha no serviço de urgência.

Sílvia Lutucuta referiu que foi necessário tomar algumas decisões em relação à cerca sanitária da Multiperfil, cuja previsão de levantamento era para hoje, dependendo da avaliação epidemiológica.

“Todas as pessoas que estão na cerca da Multiperfil foram testadas, essa testagem foi efetuada há mais de sete dias e, por esta altura, todos os exames negativos que temos na Multiperfil têm que ser reavaliados”, disse a ministra.

Uma equipa de vigilância epidemiológica da Direção Nacional de Saúde Pública e a Direção Nacional dos Hospitais do Ministério da Saúde estão a trabalhar com a direção da Clínica Multiperfil, tendo sido decido manter, por enquanto, a cerca sanitária da instituição privada.

De acordo com a ministra, hoje foi iniciada, “com caráter de urgência”, a testagem dos 30 pacientes internados naquela clínica, devendo ainda hoje sair os resultados, para posteriormente se tomar algumas medidas.

“Os casos negativos, com critério de alta, terão alta, os casos negativos, com critério de internamento, serão transferidos para outras unidades sanitárias e amanhã [sábado] prevemos fazer a testagem de todos os profissionais que estão na cerca sanitária, para a partir dali tomarmos melhores decisões do ponto de vista de saúde pública para estes profissionais”, frisou.

A governante salientou que depois dos casos registados na clínica privada, “é prudente que eles sejam retestados, porque já passaram mais de sete dias desde o teste anterior e de seguida, depois de tomadas essas medidas, vai-se proceder à desinfeção da clínica e ao levantamento da cerca sanitária de forma segura”.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 421 mil mortos e infetou mais de 7,5 milhões de pessoas em 196 países africanos e territórios, segundo o balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano passou a ser o que tem mais casos confirmados, embora com menos mortes.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.