Setenta por cento das escolas de Benguela sem água

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Cerca de 70 por cento das escolas do ensino primário, I e II ciclos da província de Benguela estão sem água potável, informou o director do Gabinete Provincial da Educação, Calopa Mário.

A província conta com 944 escolas públicas, privadas e público-privadas, com um universo de 774 mil alunos.

Em declarações à imprensa, quando falava sobre os preparativos das condições para o reinício das aulas, paralisadas há cerca de dois meses, devido à pandemia da covid-19, frisou ter sido feito um levantamento para se aferir a situação das infra-estruturas educativas da região.

O reinício das aulas do ensino secundário e universitário está aprazado para 13 de Julho e as do ensino primário para 27 de Julho, caso as condições o permitam. As aulas, suspensas em finais de Março devido à ameaça de proliferação do novo coronavírus.

Calopa Mário disse ser necessário a aquisição de recipientes de água de 200, 300, 500, 1000 e  5000 litros, consoante a dimensão da escola, para a garantia das medidas mínimas de prevenção desta doença, nomeadamente a lavagem das mãos com água e sabão.

“Existe um árduo trabalho a ser feito pela Comissão Provincial de Prevenção desta pandemia e das administrações municipais, para criação das condições indispensáveis higio-sanitárias para o recomeço do ano lectivo”, reconheceu.

O responsável disse que o levantamento está concluído, aguardando-se agora que hajam recursos para a aquisição dos meios indispensáveis, acrescentando  ainda baldes com torneira e sabão.

Na sequência do Decreto Executivo 5/2020, que reajusta o calendário escolar, o Gabinete Provincial da Educação está a trabalhar, com a articulação de todos os actores do processo de ensino, para a criação de condições tendentes ao reinício das aulas nos prazos estabelecidos.

Avançou estarem criadas as condições nas escolas do ensino secundário, mas o ensino primário é o mais problemático.

Na ocasião, avançou que foram já colocados nos 10 municípios da província os 489 professores admitidos no concurso público de 2019, estando neste momento a frequentar seminários de capacitação pedagógica, para reforçarem o corpo docente nesta fase.

Semanalmente a comissão provincial vai reunir para aferir a criação de condições para o arranque das aulas, uma vez que o Decreto Presidencial diz que elas só retomam caso estejam reunidas as condições objectivas.

Entretanto, o governador provincial de Benguela, Rui Falcão, visitou e reuniu com a direcção do Complexo Escolar do Ensino Especial BG1038, para avaliar as condições para o reinício das aulas, realçando a necessidade da observância dos aspectos essenciais de biossegurança e higienização.

Aconselhou a direcção da escola a garantir as condições técnicas necessárias, como zonas de lavagem das mãos, aquisição de desinfectantes, entre outras.

Rui Falcão disse que o Gabinete Provincial da Saúde estará envolvido neste processo, com a criação de equipas de especialidade para acompanharem todo procedimento, que abrangerá a testagem dos professores.

O governante lembrou a necessidade do Gabinete Provincial da Educação imprimir maior criatividade nas escolas, no sentido de dividir-se as turmas a dois.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.