Três empresas recebem crédito de 15 mil milhões kwanzas do Prodesi

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Três empresas do sector agro-industrial, com projectos localizados nas províncias do Cuanza Sul e Huíla, já começaram a receber o financiamento, totalizando até agora o valor de 15,4 mil milhões de kwanzas, no âmbito da linha crédito do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (Prodesi).

No Cuanza Sul, das várias iniciativas empresariais em análise nos bancos, dois já estão a ser financiados, sendo um de derivados de bovinicultura e comercialização de carne e outro de produção de milho e soja.

A empresa Valagro S.A é a promotora do projecto destinado a derivados de bovinicultura e comercialização de carne e recebeu um financiamento de 250 milhões de kwanzas, assegurado pelo Banco Económico.

O projecto de produção de milho e Soja, uma iniciativa da Noviagros – Exploração e Comércio Agricola Limitada, tem o suporte financeiro de 11 mil milhões do Standard Bank.

O terceiro projecto aprovado, no quadro deste programa do Governo de fomento da produção interna e redução das importações, situado na província Huíla, constitui uma iniciativa da Agri-Mumba Gestão P.E Industrial Limitada, voltada para aquisição de sementeiras e gado.

Esse projecto, cujo financiamento é asseguarado pelo Banco BIC, está avaliado em quatro mil milhões, 196 milhões, 727 mil e 200 kwanzas.

No quadro de materialização do Prodesi, o Governo criou em 2019 o Programa de Apoio ao Crédito (PAC), um instrumento operacionalizado por 09 bancos comerciais, que facilita o acesso ao crédito para produtores que queiram se dedicar à produção da lista dos 54 produtos, com realce para os da cesta básica e outros considerados essenciais.

Mais de 15 mil produtores nacionais inscreveram-se no Prodesi, através do portal criado para o efeito. O crédito, a ser concedido pelas instituições financeiras, destina-se, exclusivamente, para a produção de 54 bens essenciais que apresentam défices de oferta de produção nacional.

Os 54 produtos

1. Açúcar; 2. Arroz corrente; 3. Carne seca de vaca; 4. Farinha de trigo; 5. Feijão; 6. Fuba de bombó; 7. Fuba de milho; 8. Leite; 9. Massa esparguete; 10. Óleo alimentar de soja; 11. Óleo de palma; 12. Sabão azul; 13. Sal comum; 14. Ovos; 15. Carne de frango; 16. Carne de cabrito; 17. Carne de porco; 18. Grão de milho; 19. Mandioca; 20. Batata-doce; 21. Batata rena; 22. Tomate; 23. Cebola; 24. Alho; 25. Cenoura; 26. Pimento; 27. Repolho; 28. Alface; 29. Banana; 30. Manga; 31. Abacaxi; 32. Tilapia (cacusso); 33. Carapau do Cunene; 34. Sardinella aurita (lambula); 35. Sardinella maderensis (palheta); 36. Óleo alimentar de girassol; 37. Óleo de amendoim; 38. Mel; 39. Varão de aço de construção (maior de 8mm); 40. Cimento; 41. Clínquer; 42. Cimento cola, argamassas, rebocos, gesso, e afins; 43. Vidro temperado, laminado, múltiplas camadas ou trabalhado de outras formas; 44. Embalagens de vidro para diversos fins; 45. Tinta para construção; 46. Guardanapos, papel higiénico, rolos de papel de cozinha; 47. Fraldas descartáveis; 48. Pensos higiénicos; 49. Detergente sólido (em pó); 50. Detergentes líquidos; 51. Lixívias;52. Cerveja; 53. Sumos e refrigerantes; 54. Água de mesa.  

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.