Quinze semanas depois Angola mantém o número mais baixo, Guiné-Bissau lidera

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Quinze semanas depois de o novo coronavírus ter sido detetado pela primeira vez na África subsaariana, em 28 de fevereiro, na Nigéria, Angola com 86 casos, continua a ser o país de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), com o número mais baixo de infeções numa lista liderada pela Guiné-Bissau.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC):

A Guiné-Bissau tem 1.339 casos e 8 mortos.

A Guiné Equatorial tem 1.306 casos e 12 mortos.

Cabo Verde tem 502 infeções e cinco mortos.

São Tomé e Príncipe contabiliza 499 casos e 12 mortos.

Moçambique conta 352 doentes infetados e dois mortos.

Angola tem 86 casos confirmados de covid-19 e quatro mortos.

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egito em 14 de fevereiro mais de um mês depois do primeiro caso ter sido registado na Europa, em 21 de janeiro, em França, 8 dias depois do primeiro caso ter sido registado nos EUA, em 13 de janeiro, em Chicago, e quase dois meses depois do início da pandemia, em dezembro, na cidade de Wuhan, província de Hubei, China.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.