Tottenham recorre a empréstimo do Estado inglês para acudir à crise financeira

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Tottenham, cuja equipa de futebol é treinada pelo português José Mourinho, informou hoje que recorreu a um empréstimo do Estado inglês de 175 milhões de libras (195 milhões de euros) para acudir à crise financeira que atravessa.

“A pandemia mundial criou desafios económicos e sociais sem precedentes, sem que se saiba quanto tempo vão permanecer”, escreveram os ‘spurs’ no comunicado que emitiram.

Com a suspensão dos jogos da I Liga inglesa desde meados de março, bem como de todas as atividades no seu estádio, como o centro de conferências, os concertos e outros desportos, o Tottenham estima que o seu défice, cumprido o reembolso dos direitos de televisão referentes ao período até junho de 2021, pode exceder os 200 milhões de libras (222 milhões de euros).

Como não é possível, neste momento, perspetivar o regresso dos eventos com público, o clube recorreu ao Covid Corporate Financing Facility (CCFF), um mecanismo de empréstimo ao dispor de grandes empresas de boa saúde financeira e que tenham uma contribuição notável para a economia britânica.

O dinheiro emprestado pelo Banco da Inglaterra “não será usado para contratar jogadores”, garantiu o clube londrino, muito endividado por causa da construção do seu novo estádio, que custou quase um bilião de libras (1,11 mil milhões de euros).

No final de março, o Tottenham causou alguma controvérsia ao anunciar a intenção de colocar 550 funcionários em ‘lay-off’, deixando os futebolistas profissionais de fora, no programa de desemprego de curta duração do governo, mas reverteu essa decisão alguns dias depois.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.