Empreededores apelam por soluções imediatas do Executivo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A redução das taxas de juros, acesso ao crédito e as divisa são aspectos devem constar das prioridades do Executivo a fim de evitar o desemprego dos trabalhadores afectos as pequenas e médias empresas.

Tais soluções foram apresentadas durante um encontro, que teve lugar nesta quinta-feira, em Luanda, numa promoção da União dos Pequenos e Médios Empreendedores de Angola ( UPME).

Os filiados da organização fizeram questão de reafirmar que as dificuldades  financeiras aumentam nesta altura devido as restrições impostas no âmbito da prevenção e combate à pandemia da covid-19.

Para João Matos, que falou em representação do sector do comércio de vestuário e calçados, o arrendamento dos espaços comerciais nos Shoppings em Luanda ainda estão indexados ao dólar, situação que deve ser revisto.

“Este sector emprega muitos jovens e com famílias por sustentar. O Estado deve olhar para todos e não apenas as grandes empresas“, referiu.

Por seu turno, Cláudia Andrade, que falou pelo sector da  educação e ensino particular, adiantou que deve existir uma melhor relação entre os ministérios da Educação e das Finanças como forma de reduzir os encargos fiscais e manter funcional os colégios, creches e ATL que, apesar de estarem encerradas, continuam a pagar salários e os respectivos impostos.

Para Beatriz Franck, presidente da UPME, o Executivo angolano falhou ao não contemplar, nesta fase da covid -19, os empreendedores  no alívio fiscal.

Disse que a classe dos empreendedores tem sofrido com o surgimento da pandemia da covid -19, levando muitos, nos dois últimos meses, a paga apenas 50% do ordenador dos seus trabalhadores.

“As nossas  preocupações vão chegar ao Presidente da República que irá encontrar as melhores soluções  para esta franja que muito contribui para a economia nacional“, referiu.

A UPME fez saber que urgem soluções sustentáveis para que o empresariado nacional continue a ter a responsabilidade na economia, gerando empregos, pagando impostos, contribuindo para o engrandecimento e crescimento do país.

A referida associação congrega 208 empreendedores, que perfaz um total de quatro mil trabalhadores.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.