Estatísticas mostram que homens em Angola são mais propensos em contrair a covid-19

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

As estatísticas oficiais angolanas mostram que a covid-19 afecta mais homens do que mulheres, com um total de 53 casos positivos confirmados, cujas faixas etárias variam entre os zero e mais de 60 anos de idade.

Segundo o boletim informativo de hoje, domingo, distribuído à imprensa, em três meses de luta contra a doença, apenas 33 mulheres estão infectadas pela pandemia em Angola, com idades compreendidas entre um mês e acima dos 60 anos.

Num universo de 86 casos actuais, há registos de quatro mortos, todos do sexo masculino, contra nenhuma mulher, grupo  que contabilizam menos 20 infecções em relação aos homens, apesar de apresentarem sintomas comuns, em estágio inicial da doença.

Entre eles, a tosse (27%), febres acima de 38 graus célsius, dor de cabeça (14%), dificuldade respiratória (13%), mialgia (dores musculares, 7%), mal-estar geral (7%), dor de garganta (3%), calafrio (3%) e irritabilidade (3%).

O documento ilustra que 89% destes pacientes, em ambos os sexos, não apresentam sintomas (são assintomáticos), enquanto 11 por cento manifestaram sinais e sintomas.

Em termos geográficos, a província de Luanda mantém-se como o epicentro, com o município de Talatona à frente (28 doentes), seguido do Cazenga (21), Maianga (14), Belas (09), Kilamba Kiaxe (05), Ingombota (03), Cacuaco (02), Rangel (01) e Viana (01).

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.