Proposta de Lei sugere tratamento igual para juízes do Tribunal Constitucional

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Queiroz, afirmou hoje (quarta-feira), em Luanda, que o regime remuneratório do Tribunal Constitucional (TC) vai beneficiar todos os juízes conselheiros.

Em declarações à imprensa, no final da 5ª sessão ordinária do Conselho de Ministros, Francisco Queiroz sublinhou que até agora o estatuto beneficiava, apenas, os magistrados judiciais e agora deverá beneficiar, também, os provenientes do Ministério Público e da advocacia.

Apreciada favoravelmente hoje em Conselho de Ministros, a proposta de Lei sobre o Regime Remuneratório do Tribunal Constitucional segue para a Assembleia Nacional (AN), para discussão e posterior aprovação.

Mereceu, igualmente, o aval do Conselho de Ministros a proposta de Lei sobre o Regime Disciplinar dos juízes e a Lei Orgânica do Tribunal Constitucional.

A propósito, o ministro Francisco Queiroz referiu que com a Lei Orgânica a questão da jubilação dos juízes conselheiros vindos do Ministério Público ou da advocacia passa a ser equiparada à dos juízes provenientes da Magistratura Judicial.

Segundo o governante, essa articulação vai permitir aos juízes conselheiros do TC provenientes da magistratura judicial, do Ministério Público e da advocacia (indicados pelo Presidente da República ou pelo Parlamento) beneficiarem do mesmo salário e subsídios, após sete anos de trabalho.

A Lei sobre o Regime Remuneratório do Tribunal Constitucional entrará em vigor após publicação em Diário da República.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.