Lunda Norte caminha para autossuficiência eléctrica

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A provincia da Lunda Norte amplia, nos próximos dias, a sua capacidade de produção de energia eléctrica, de 18 para 43 megawatts (MW), com a instalação de uma turbina termoeléctrica de 25 MW na cidade do Dundo, anunciou hoje, quarta-feira, o governador local, Ernesto Muangala.

Actualmente uma central térmica com cinco grupos geradores, de um total de 18 megawatts, 11 dos quais disponíveis, garantem o fornecimento de energia ao município de Chitato, com mais de 100 mil habitantes.

Ernesto Muangala fez este anúncio no final de uma visita de constatação a central térmica de Cacanda, para se inteirar do funcionamento da mesma.

Disse que com esta turbina, associada à barragem hidroeléctrica do Luachimo, que beneficia de obras de ampliação (de 8 para 34 megawatts), a provincia terá o problema de energia eléctrica resolvido e estará apta para a industrialização.

Para muitos moradores da província e em especial da cidade do Dundo, a autossuficiência el´ectrica ainda é uma miragem. Com a paralisação dos serviços por parte do Grupo Greko, este sonho tornou-se ainda mais longínquo.

A Grego cortou os seus serviços na Lunda Norte, paralisando uma central móvel de 10 megawatts, provocando algumas restrições no fornecimento de energia eléctrica em alguns bairros da cidade do Dundo, por alegada divida da parte do Estado.

De acordo com Angop, trata-se de uma divida de três meses que obrigou a empresa paralisasse os serviços na província, estando actualmente, a negociar com a PRODEL e o Ministério de Energia para a sua resolução.

Enquanto isso, para acabar com as restrições que se regista no distrito urbano do Dundo, segundo o director regional da PRODEL, Manuel Muteca, citado pela Angop, serão recuperados dois grupos geradores 3.8 megawatts cada, para reforçar a actual capacidade de produção na central térmica de Cacanda, visando satisfazer a demanda local que é de 16 MW.

O director da ENDE na Lunda Norte, Felisberto Gomes, informou que a distribuição de energia em alguns bairros está ser feita de forma alternada, ou seja, uns têm o produto das 6h00 às 18 e outros das 18h00 às 6h00.

Ernesto Muangala apela a PRODEL no sentido de acelerar com os trabalhos de recuperação dos dois grupos geradores, para se ultrapassar o mais rápido possível este problema.

Manuel Muteca disse que aguarda-se apenas pela chegada de alguns equipamentos, ou acessórios para o inicio do trabalho.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.