Alemanha com mais de 178 mil casos tem vários estados já sem novas infeções

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A Alemanha contabilizou até hoje 178.570 casos diagnosticados de covid-19, um aumento de 289 nas últimas 24 horas, com quatro regiões a não registarem novas infeções desde o dia anterior.

De acordo com o balanço mais recente do Instituto Robert Koch, os estados de Brandeburgo, Meclemburgo-Pomerânia Ocidental, Alta Saxónia e Schleswig-Holstein não apresentaram novos casos.

O RKI ressalva nestes últimos dados, que, devido a um problema informático, a região da Baixa Saxónia não apresentou qualquer contagem.

Há um total de 8.257 vítimas mortais, um aumento de 10 em relação ao dia anterior, e mais 800 casos considerados curados, para um total de aproximadamente 161.200.

O jornal “Bild” avança hoje que o Governo alemão pretende propor um relaxamento adicional das medidas de contenção, a partir de 6 de junho. Deverão manter-se as restrições de contacto e a obrigatoriedade do uso de máscara nos transportes públicos, por exemplo.

Durante o fim de semana, o líder do governo da Turíngia (2.871 casos diagnosticados), Bodo Ramelow, anunciou que pretende abandonar os regulamentos federais de proteção contra a pandemia de covid-19 daqui a menos de duas semanas. A decisão levou a que a habitual reunião do gabinete dedicado ao coronavírus fosse hoje cancelada.

Em reação, o ministro da Saúde, Jens Spahn, sublinhou que “sob nenhuma circunstância deve surgir a impressão de que a pandemia já terminou.”

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 343 mil mortos e infetou mais de 5,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de dois milhões de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano passou a ser o que tem mais casos confirmados (mais de 2,4 milhões, contra dois milhões no continente europeu), embora com menos mortes (mais de 143 mil, contra quase 174 mil).

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), paralisando setores inteiros da economia mundial, num “grande confinamento” que vários países já começaram a aliviar face à diminuição dos novos contágios.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.