Ministro da Defesa Nacional quer exército forte e coeso

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O ministro da Defesa Nacional e dos Veteranos da Pátria, João Ernesto dos Santos, exortou nesta segunda-feira o novo comandante do Exército a encontrar soluções necessárias para continuar a ter um exército forte, coeso, disciplinado e capaz de superar os obstáculos.

Ao falar na cerimónia de apresentação do novo comandante do Exército, general Jaque Raul, o ministro disse esperar que a nova liderança no comando do Exército possa imprimir uma nova dinâmica e ideias que permitam aos oficiais generais, oficiais superiores e subalternos do exército possam ter a consciência da responsabilidade que tem no domínio da defesa do território nacional, instituições democráticas e órgãos de soberania.

Frisou que a cerimónia de apresentação acontece numa altura em que se regista no sector da Defesa Nacional a fusão dos ministérios da Defesa Nacional e dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, por um lado, e por outro, o prosseguimento do processo de reestruturação e redimensionamento das estruturas das Forças Armadas.

 Acresceu que a reestruturação surge tendo em atenção o contexto vigente no país, face à desafiante conjuntura política, económica e social que exige a compatibilização dos escassos recursos às inúmeras necessidades para o esforço da defesa dos interesses nacionais.

 Pretende-se ter, realçou o governante, um Ministério da Defesa Nacional e dos Veteranos da Pátria que corresponda às novas exigências do país, que tenha na sua composição poucos departamentos, poucas direcções, sendo um Departamento ministerial que esteja em condições de corresponder às exigências (…).

Explicou que o novo comandante do Exército, general Jaque Raul, “não é um oficial desconhecido, pois trata-se de um quadro militar experimentado, com elevadas qualificações técnicas, operativas, intelectuais e conhecedor dos problemas do exército, tal como os outros ramos das Forças Armadas Angolanas (FAA), que se encontram num processo de reestruturação e redimensionamento, na perspectiva de se adaptarem aos actuais e futuros desafios”.

 Em relação à Covid19, o ministro recomendou que as FAA, em particular o exército, devem redobrar o seu engajamento no cumprimento das orientações do Executivo no que tange às acções preventivas para evitar a propagação desta doença que é um inimigo para todos, merecendo um combate sem tréguas.

 A cerimónia de apresentação aconteceu depois do Presidente da República, João Lourenço, conferir posse, nesta segunda-feira, ao novo comandante do Exército, general Jaque Raul.

O Comandante-em-Chefe recomendou ao oficial general trabalho e maior organização, para que o Exército, em particular, e as Forças Armadas, em geral, possam continuar a cumprir com as funções que, ao longo da história, o fazem da melhor forma possível.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.