Alemanha regista 583 novos casos e 33 mortes em 24 horas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O número de novos casos de covid-19 na Alemanha nas últimas 24 horas é de 583, o que assinala o segundo dia de descida consecutiva, elevando para 174.355 o total de infeções desde o início da pandemia.

De acordo com o relatório de hoje do Instituto Robert Koch (RKI), atualizado às 12:00, o país regista 7.914 vítimas mortais, mais 33 em relação às 24 horas anteriores.

Há ainda um total estimado de 153.400 casos considerados curados, uma subida de cerca de 800 desde o balanço diário realizado pelo RKI no sábado.

O RKI destaca que a incidência (casos por 100 mil habitante) cumulativa do novo coronavírus é atualmente mais alta na Bavária (347), no estado de Bade-Vurtemberga (307), em Hamburgo (273) e no Sarre (272)

A maioria dos casos de infeção (67%) incide sobre pessoas entre os 15 e os 59 anos, sendo que mulheres (52%) e homens (48%) são afetados praticamente de igual forma.

De acordo com o instituto, os maiores de 70 anos representam 86% das mortes por covid-19, embora correspondam apenas a 19% do total dos casos.

O RKI destaca ainda que os surtos de covid-19 continuam a ser reportados em lares e hospitais, havendo ainda relatos, em vários estados, de casos entre trabalhadores de fábricas de carne.

A atual taxa de infeção (o designado R, que calcula quantas pessoas são infetadas por um doente covid-19) estimada situa-se nos 0,94, o que significa que um paciente com o novo coronavírus contagia, em média, menos de uma pessoa, de acordo com o RKI.

Até ao momento, 11.832 casos de infeção pelo novo coronavírus foram detetados em profissionais de saúde, a maior parte dos quais mulheres (73%).

Morreram 18 profissionais de saúde e a média de idades dos infetados é de 41 anos.

A 10 de maio, o RKI revelou que a taxa de contágio na Alemanha voltou a subir para 1,1.

O valor, considerado fundamental pelas autoridades para atenuar as medidas de contenção no país, chegou a ser de 0,65 uns dias antes.

Ainda assim, e depois de registar durante vários dias mais de 1.000 novos casos, a 10 de maio o RKI apresentava um abrandamento da subida, com 667 infeções nas últimas 24 horas.

Na sexta-feira, o número de novos casos registados era de 913 e, no sábado, desceu para os 620, havendo a registar 57 mortes

Devido ao impacto da pandemia de covid-19, a economia alemã caiu 2,2% em relação ao trimestre anterior, segundo os valores do Instituto Federal de Estatística (Destatis) divulgados hoje em conferência de imprensa.

Apesar de os meses de janeiro e fevereiro não terem sido ainda afetados pelas consequências do novo coronavírus, o impacto de março foi “grave” para o conjunto do trimestre.

É o maior recuo do PIB alemão desde a crise económica e financeira de 2008 e 2009, e o segundo desde a reunificação do país, em 1990.

Apesar de nos últimos dias, e um pouco por todo o país, se terem realizado diversas manifestações espontâneas contra as medidas de contenção adotadas pelo governo alemão, uma nova sondagem volta a indicar que a maioria da população é a favor das regras impostas pela chanceler Angela Merkel.

A Renânia do Norte-Vestefália já levantou a quarentena obrigatória aos cidadãos da União Europeia que cheguem a este estado federado, tal como aos países do espaço Schengen que entrem no país através do território.

A Liga alemã é retomada este fim de semana depois de dois meses de suspensão e é um dos primeiros grandes campeonatos europeus a regressar.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou perto de 312 mil mortos e infetou mais de 4,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,6 milhões de doentes foram considerados curados.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.